Muita calma nessa hora


Adoro o futebol do Adriano e, pelo contato que tive até hoje, gosto muito da pessoa também. O que aconteceu hoje no CT tem duas interpretações faceis:

1- Adriano estava de cabeça quente porque bateu o carro de madrugada, se irritou, acabou tomando uma atitude irresponsável e errada. Deve ser multado, meter a cabeça no lugar, se desculpar e voltar a treinar corretamente.

2- Adriano é o caso de um jogador nervosinho, irresponsável e que, além de estar causando problemas no clube, ainda estava na rua as 5 da manha em véspera de treino tendo chegado de viagem da Colombia. Ou seja, não tem noção nenhuma de profissionalismo.

Eu fico com a primeira, até que se prove o contrário. Até porque, não acho justo julgar alguém por um dia de furia, pois todos nós temos. Até agora, Adriano não cometeu um ato de indiciplina sequer no SPFC. Não sera no primeiro, onde pode ter havido um acidente de carro na madrugada, que ele merece ser arrebentado pela mídia e torcida.

Agora, é fato: Jogando o que anda jogando, com historico de problemas, arrumar uma dessas é, no mínimo, pedir pra aumentar a pressão. Assim como sempre digo que o Richarlyson adora ser o alvo de piadinhas por causa-las em suas atitudes, idem pro Adriano que sabe que não anda com créditos pra isso. Mas...

abs,
RicaPerrone

O mestre André sempre dizia...


Diz o samba de exaltação da Mocidade:
"O mestre André sempre dizia, ninguém segura a nossa bateria...".

Mestre André, pra quem nào sabe, foi mestre de bateria da Mocidade durante muitos anos, e é pai do Andrezinho do Grupo Molejo.

Sim, mas o que o mestre André tem a ver com o blog?
Nada, mas são 3h40 da manhã, e eu to afim de escrever.

Uma histórinha curiosa:

Sabe como surgiu a paradinha das baterias das escolas de samba?

Em mil novecentos e lá vai pedrada, o mestre André caiu enquanto sambava na frente da bateria da Mocidade. Sambando, ele escorregou e caiu no chão. Quando caiu, a bateria parou. Quando percebeu a "nhaca", levantou apontando pros repiques e a bateria voltou, sem ensaio, ordenadamente. O público foi ao delirio, e depois disso André foi preparando as paradinhas nos ensaios, pois viu que dava certo.

Foi assim... E até hoje é assim.

abs,
RicaPerrone

Sensacional

Sensacional a idéia! Veja o detalhe:"Vendo vaga. Tenho duas!"

Pegou? rs

abs,
RicaPerrone

Pra salvar o final de semana

Globo,com
O domingo será salvo por Corinthians x Palmeiras, único jogo "interessante" do final de semana. Tirando este, todos os outros 10 grandes do país enfrentam times de série C ou, em raros casos, de série B. Legal, bem legal! (adoro estaduais...rs)

Tá bom, eu sei! Dirão: O Palmeiras também enfrenta um da série B. Mas, sabemos tanto quanto, é fase. A grandeza do Corinthians se mantém, idem para o clássico, que ainda é o mais tradicional e "charmoso" de São Paulo.

Denilson, Valdívia, Felipe, Acosta... jogadores protagonistas do clássico. Luxa x Mano, outro ótimo duelo.

Um Corinthians que marca, um Palmeiras que ataca. Os dois ainda em formação, mas com vantagem de time pro Verdão. E desde quando existe favorito em Corinthians x Palmeiras?

Mas, vai dar Palmeiras.

abs,
RicaPerrone

Voltem, "irreverentes"!


Cansa! Futebol cansa!

Jogador diz que não conhece o rival e nós, da imprensa, falamos que é menosprezo. Aparece um menos corretinho para dizer que vai ganhar domingo e manchetemos: "Jogador tal desmerece rival", e por aí vai.

Só que isso enche o saco. Claro, tem limites, mas é preciso que o futebol aceite novamente a irreverencia, a gozação, a brincadeira, o glamour de um clássico esperado por diversos motivos, não apenas pelos pontos em disputa.

Souza chorou no Maracanã, e eu morri de rir. Não do Botafogo, mas do quanto ele arrumou pro próximo clássico. Vai ser um jogo de arrepiar, e quem ganha é o torcedor.

Saudades do Vampeta, quando ele podia abrir a boca pra falar. Do Souza, que mesmo via msn me diz: "Eu volto quando o Juvenal quiser, e vou pra detonar "eles"". Proibido de publicar? Não! Ele não tá nem ai, mete pilha mesmo!

Romário, Edmundo, Tulio Maravilha, Paulo Nunes, Djalminha, Carlos Miguel, Renato Gaucho, entre tantos outros que faziam da semana um aquecimento para o clássico, nào uma chata concentração.

Viva a brincadeira do Souza! Viva o sarro com os corintianos, a brincadeira do amarelão do SPFC, a de não ganhar títulos com o palmeiras, a do Botafogo ser chorão e a do Vasco ser vice! É isso que faz o futebol ser interessante. Dane-se o politicamente correto, desde que a brincadeira não seja violenta ou ofensiva.

abs,
RicaPerrone

É a escola...

Falar em Telê Santana para tricolores é um afronto. Não é permitido nem constatar fatos, nem mesmo os mais óbvios, como o fato dele não ter ganhado pouco até chegar ao SPFC. Telê foi genial para uns, teimoso para outros. Alguns jogadores o adoram, outros o detestam.

Há, acredite, jogadores daquela época que dizem que o time venceria com ou sem ele, porque a geração era muito forte. Outros juram que Telê fez aquele time jogar por méritos 50% dele mesmo.

A gente nunca vai saber. A única coisa que sabemos é que Muricy é seu aprendiz, e que é tão teimoso, turrão e chato quanto. Assim como competente, mas aí já não dá nem pra ousar dizer que "tanto quanto".

Ontem, revi uma partida do SFPC da "era Tele". Eu não me lembrava disso, mas ficou muito claro na minha cabeça de onde vem essa coisa do Muricy acreditar que futebol não tem posição, não tem esquema fixo, nem jogador em posição determinada.

Telê jogou com Cafu como meia/ala/atacante. Vitor segurava, e quando ia, parecia ponta. Pra isso, os volantes ficavam. Mas, os volantes também iam, e quando acontecia, as vezes até o Cafu ficava.

Na esquerda, Elivelton jogou de ponta esquerda. Muller era o unico atacante daquele time, enquanto Raí fazia o que hoje faz o Fernandão no Inter, e Palhinha era um meia que chegava na área. O time tocava a bola, mas tinha uma diferença brutal para o atual.

Primeiro a qualidade técnica, segundo a posição do time em relação ao adversário, e talvez por isso a idéia do Muricy não se encaixe na do Telê. Mudar, fazer o time flutuar, fazer com que todos ataquem, defendam e confundam rivais se faz muito útil, desde que você agrida o rival.

Ninguém, absolutamente ninguém, vinha pra cima do SPFC. O ataque era tão bem armado que vir pra cima era pedir pra perder, e com isso facilitava a zaga.

Uma coisa curiosa: Tele nao tinha dificuldade em armar o time com grosso, brucutu ou craque. Ele fez Macedo jogar, Goiano sair jogando, Dinho atuar tocando bola, Pintado tabelar e lançar, etc. Muricy tem dificuldade em usar jogadores de alto nível técnico, pois força deles mais a marcação do que o jogo.

Claro, o futebol mudou. Hoje não permite mais isso. Mas, ao ver este jogo ontem, e tantos outros "melhores momentos" de fitas velhas que encontrei aqui, notei claramente de onde vem essa coisa do Muricy improvisar e mudar a posição dos jogadores, mantendo apenas o "lado do campo". A questão que me ficou na cabeça é a postura do time. O do Telê agredia, e essa mudança confundia o adversário. O do Muricy recua, marca mais do que joga, e aí, essa troca de posicionamento as vezes confunde mais o time do que o rival.

Até porque, o SPFC atacava com 7, hoje, na maioria das jogadas, chega com 3 ou 4.

É pra se analisar... mas se tiver a oportunidade, veja um jogo da Era Telê e note como ele fazia algo muito parecido com o que Muricy tenta fazer hoje.

abs,
RicaPerrone

Erros, acertos e créditos

 
Só hoje consegui assistir ao jogo do Flamengo. Ontem, enquanto via o Tricolor com a turma no bar, já imaginava que não ia bem a coisa na medida em que os gols nào saiam e que os lances de perigo eram raros. Mas, vendo hoje com calma, só confirmou.

Primeiro não entendi bem porque o Joel mexeu no time. Tá ficando meio óbvio já que o Marcinho ou o Maxi tem que jogar do lado do Souza, porque sozinho ele não vai fazer nada. Tardelli, insisto, banco.

O Joel está apostando no que deu certo em 2007 e até agora, já que o Flamengo ganhou 9 jogos em 2008, perdeu um com time reserva e empatou um fora de casa pela Libertadores. Não acho que precise ficar tão atrás dependendo do adversário, mas também sei que o Renato Augusto faz uma puta falta pra que o time tenha um meia-atacante de alto nível.

Tem que se considerar, óbvio, o fato do Flamengo ter jogado 2 decisões e um jogo fora na Libertadores na última semana. Isso pesa, o time tá cansado, não fez 3 jogos normais de campeonato estadual. Jogou 2 classicos, mata-mata, tendo que correr o tempo todo, pressão, etc. Enfim, mesma coisa pros 30 mil que foram ao Maracanã. Não é um baita publico, mas tá bem dentro do aceitável pra quem gastou 80 reais na ultima semana vendo os 2 jogos da Guabanara.

E aí entra a Guanabara. Pra que serve, muitos perguntam? Simples:
- O Flamengo venceu o campeonato, e agora tem 2 meses de estadual pra não ter que se preocupar com ele.
- Deu crédito. O time pode jogar mal como ontem, mas ao vencer, saiu aplaudido.
- Paz, porque não há crise no Flamengo.
- Confiança, porque o time sabe que é capaz de vencer

E só por ter ganho a Guanabara o Mengão não foi vaiado ontem. Ou seja, o título valeu muito mais do que uma simples vaga na final.

abs,
RicaPerrone

Mas que coisinha feia!

 
É, tá dificil não criticar. Lá se vão 12 jogos, o time não se encontra, muda o tempo todo e não há, sequer, um padrão tático. Pior, nem formação existe ainda. 442? 352? 343? Não se sabe. O time muda, se perde, e quando sai a escalação você não faz idéia do que vai ver em campo.

Seria uma arma mortal, se os jogadores soubessem. Mas, como nem eles sabem o que fazer, fica complicado.

A zaga erra, mas quem não erraria jogando cada dia com uma formação e sem nem uma definição de quantos zagueiros são? Quando são 3, um deles não é zagueiro.

Reparem: Ha quantos jogos os gols do SPFC saem de bola parada ou cruzamento na área? E só!

Afinal de contas, o que faz o Richarlyson em 2008? Qual a posição do sujeito?

Eu não gosto, nunca gostei e nunca vou gostar dessa coisa de inventar formação tática tirando meio time da posição de origem. Isso leva tempo pra cacete pra funcionar, e quando funciona, normalmente é tarde. Muricy adora. Vai continuar fazendo, porque além de gostar, ele tem um leve gosto por inventar cada vez mais na medida que o questionam.

Coloca esse time no 352 com zagueiros na zaga, laterais nas laterais, volantes de volantes, meias na meia e um atacante que corra, que essa coisa funciona!!! Não dá pra não funcionar! A base é a mesma, o time já se conhece, o sistema funciona há 3 anos!

Ah, desisto! Eu nunca vou entender o Muricy... Eu vejo futebol de um jeito muito mais prático do que ele. As vezes treinador se apega tanto a detalhe que esquece do óbvio. O duro disso tudo é que ninguém pode nem perguntar pra ele o que ele tá tentando fazer, pois se perguntar, vai ouvir uma puta de uma resposta mal criada.

Enfim, seja o que Deus quiser... desde que Jesus não seja improvisado Santo e o Papa como do diabo.

abs,
RicaPerrone

Pra embalar de vez

Globo.com

O Flamengo ameaça e ensaia um ano histórico. O time é muito forte, a torcida abraçou a idéia e tudo que precisava acontecer para que a equipe chegasse forte na Libertadores, já aconteceu. O time está invicto, tem momentos que joga muito bem, 2 ou 3 jogadores acima da média e um fator casa que volta a pesar como há anos não pesava.

Campeão da Guanabara, com jogador que gera desconfiança fazendo gol do título e ganhando crédito, entre outros fatores que ajudam, e muito, este começo de caminhada.

O Flamengo é favorito?
Sim, claro! Quem tem o time que o Fla montou e a torcida que o Flamengo tem é favorito sim. Junto com SPFC e Boca, formam o trio dos mais prováveis na final.

Chega lá?
Não sei. Depende de muita coisa, porque Libertadores não é um campeonato com alguma lógica como o Brasileirão de pontos corridos, onde passei o ano apostando que o Flamengo terminava entre os 4 primeiros. Na Libertadores, um erro do juiz (como aconteceu em 2007) elimina o time. Um jogo ruim acaba tudo.

Hoje o Flamengo joga pra sua torcida, e tem o dever de agrada-la com uma grande vitória. Não tenho muitas dúvidas que ela virá, principalmente pela euforia e vontade de jogar. Mas, muito mais importante do que ganhar hoje, é o Flamengo colocar 11 em campo e determinar que, daquela forma, caminharão para a final.

Que não cometam o erro do Flu e do SPFC, onde depois de 2 meses de futebol, ninguém sabe qual é o time e muito menos o padrão de jogo. Garanto: É mais fácil ganhar com um time feito jogando "mais ou menos" do que com um time bagunçado em dia inspirado.

Que a maior nação do mundo vá dormir feliz hoje.

abs,
RicaPerrone

É hoje o dia


Muito se falou, muita gente chegou, poucos sairam e, enfim, o "favorito" estréia na Libertadores.

Ontem o colega Birner disse que o clima já foi melhor no elenco. Sim, sim... já foi. O que não significa que seja ruim. Digamos que o time já foi mais coeso, ponto.

Não é mesmo do perfil do Rogério reclamar, assim como não faz parte do repertorio dele as falhas que tem cometido. Ontem, em entrevista coletiva, foi questionado sobre isso e rebateu. Não concordou, mas... continuo com a opinião de que tem falhado e jogado menos do que sabe, até porque, sabe demais.

Hoje o Tricolor encara um bom time, fora de casa, numa baita prova de fogo. Não sou maluco de achar que um time que anda jogando mal, empatando em casa com Noroeste, vá ganhar do melhor time da Colombia na casa deles. Não, não acho isso. Pelo contrário, acho que perde, por mais que eu torça pra que ganhe.

Me baseio em fatos, pois até agora, o SPFC não estreou. Quem sabe a motivação da Libertadores não faça com que hoje o time entre e jogue o que pode? Talvez falte isso, um fator diferente de motivação. Porque não?

Se quiser ser campeão, não precisa vencer hoje. Mas, se quiser ser campeão, é preciso, no mínimo, acordar esta noite.

abs,
RicaPerrone

Fifa Créu


Site da FIFA, hoje...

Sensacional!

http://www.fifa.com/worldfootball/clubfootball/news/newsid=698770.html#mengao+creu+maracana

abs,
RicaPerrone

Coluna ET
Coluna do RicaPerrone: "Complicando o fácil"
Fonte: Rica Perrone

O Tricolor 2008, fato incontestável, ainda não se encontrou. Joga de forma confusa, usa a bola parada para “salvar” derrotas e insiste em cruzamentos o jogo inteiro. Nada contra cruzamentos, desde que sejam passes e não balões pro meio da área.

Muricy está tentando fazer um carrossel. Se conseguir, o SPFC vira imbatível, mas, a 3 dias de começar a Libertadores, isso nem dá sinais de acontecer. Culpa do Muricy? Vamos devagar...

As coisas tem que ser analisadas separadamente. Ontem a noite assisti ao jogo com calma, fazendo anotações e observando detalhes, inclusive alguns que ouvi do próprio treinador em 2007 numa palestra. Está uma bagunça tática, mas também há falhas individuais notáveis.

Nosso capitão e ídolo Rogério Ceni não está na sua melhor fase. Salva as vezes, porque é um jogador monstruoso, mas, não é Ceni regular de sempre.

O Joilson está tímido demais. Não parte pra cima, parece que ainda não se enturmou, não se sente a vontade. Talvez, falte apoio.

A zaga, notem, é formada por jogadores já exaltados pelo talento. Não me convencerão que o Juninho ou o Alex destruíram a defesa. Primeiro porque são bons jogadores, segundo porque formam a “sobra”, logo, não são tão primordiais assim para se desmontar um sistema “perfeito”.

A questão na defesa, pra mim, é muito mais ampla. Muricy coloca Richarlyson como zagueiro/lateral. O Joilson fica mais livre pra jogar, mas o André Dias fica mais sozinho com o atacante. Quando o Richarlyson vai, existe uma tentativa de controle coletivo, onde um dos volantes fica, o outro abre, um recua, enfim, até isso ser devidamente absorvido pelo time leva tempo.

As funções não são claras. J.Wagner não ta jogando de meia, nem de lateral. O Richarlyson, nem de lateral, nem de zagueiro. Os 3 volantes não são nem volantes, nem meias. O SPFC joga sem meias, mas com um time que vai inteiro e alterna as chegadas. Ok, é bacana! Duro de marcar, mas tão duro de marcar quanto de fazer funcionar.

Com Adriano e Borges, ou seja o Aloísio, a movimentação ofensiva é pífia. E quando um ataque é pesado e se mexe pouco, se faz necessário que os laterais cheguem ao fundo, que um meia se aproxime e os volantes dêem opção.

Os volantes dão, porque viram meias o jogo todo. Os laterais não sabem quando podem ir e nem até onde. Já notaram como esse time do SPFC cruza da intermediária? Porque não vai à linha de fundo?

O cruzamento de frente pra zaga favorece muito quem defende. Essa bola tem que vir da linha de fundo, mas os laterais do SPFC não conseguem chegar lá. Porque tem que marcar? Não seria o correto, já que o time tem 3 volantes ou 3 zagueiros sempre.

Num resumo mais simples, o SPFC me parece com um problema de entendimento, somado a má fase de alguns. O time não consegue assimilar o que quer o Muricy, pois o que ele quer é muito complicado e leva tempo.

Lembra do que reclamei em 2007 com Souza? Que não acho interessante usar um meia na lateral e de volante num ano após ele ter feito grande temporada? Então, mesma coisa pro Richarlyson. Nào concordo com ele na zaga, na lateral, etc. Ele foi muito bem de volante, e é lá que deve ficar.

O time do SPFC é muito preso, pesado e confuso. Os jogadores parecem não conseguir assimilar o esquema do Muricy, que por sua vez não tem culpa alguma de erros individuais como tem acontecido.

Agora, seguindo a linha do próprio treinador, zaga tem que jogar junta. Se ele quer que funcione, enfia o Juninho ou o Alex ali e deixa entrosar, mesmo que errando. Tirando um por jogo, mudando pro 442, ou falso 352, todo jogo, não vai entrosar ninguém.

Ontem, pra tirar o Juninho, o Zé Luiz teve que alternar com o Fábio Santos. O Richarlyson foi um terceiro zagueiro, o J.Wagner nem meia, nem lateral. Pra ajudar, o coitado do Joilson não tem com quem jogar,porque o time capenga inteiro pro lado esquerdo.

Tá muito feio de ver. E pra desespero de muitos, o Atlético Nacional é o melhor time da Colombia, tem uma dupla de ataque rápida, um setor de meio-campo que cria jogadas de cotra-golpe e uma torcida que anda ajudando o time. Se jogar igual ontem, o SPFC perde de goleada na quarta-feira.
Mas, Libertadores é Libertadores. Talvez falte ao time um despertador, e ele pode ser a mudança de torneio.

Pra cima deles, porque o time é muito bom. É só querer.

Abs,
RicaPerrone
http://ricaperrone.zip.net/
O jogo

Terra
Joel começou fazendo o que o Flamengo faz de melhor: Marca, toma a bola ainda na intermediária e, com os laterais, sai rápido e chega forte.

Cuca, que é ótimo treinador, notou. Enfiou o Wellington nas costas do Juan e matou a jogada do lado esquerdo do Flamengo. Foi empurrando o time da gávea aos poucos, até anular todas as opções de ataque. Mas, também não criava muita coisa. Marcou por jogada individual, e falha da zaga que ficou olhando.

Joel mudou, e colocou Obina. Depois Kleberson, e foi jogando o meio-campo pra cima do Bota. Correu riscos com contra-ataques, mas, com um expulso pra cada lado, o time que é mais coletivo do que talentoso perde mais. O Bota ficou sem jogada de ataque, além de liberar o Ibson e o Léo Moura pra jogarem mais livre.

Nessa, o Flamengo foi achando espaços e chegando com perigo. Numa delas, o Léo chegou e fez o que sabe fazer: Segurar e soltar só pra alguém bater no gol.

Era o Tardelli, e eu confesso: Quando ele chutou, colocado, eu xinguei. Mas, entrou!!! Diego não muda nada no conceito frio de ninguém. Acertou um chute e jogou 10 minutos. Resolveu? Sim, sem dúvida! Mas, não faz dele uma realidade muito menos um jogador que "vingou" no Flamengo. Mas, fez o dele. Aplausos, porque este gol pode dar ao Tardelli a moral necessária pra que ele acorde pro futebol de vez e passe a ser regular.

Depois, bola na trave, jogo aberto, 10x9, uma bagunça. A tática foi pro diabo, mas o Botafogo brigou. Foi valente, não recuou, não pipocou. Perdeu, simples, porque o rival era melhor e tinha mais talento individual. Ora, ora... eles sabiam disso, e jamais contestaram esse aspecto.

Deu Flamengo, como poderia ter dado Botafogo. Foi no detalhe. Detalhe este que, há anos, aparece em rubro-negro.

abs,
RicaPerrone

Quem muito se lamenta...

Globo.com

Em 2007, defendi o Botafogo. Achei que a arbitragem realmente prejudicou em alguns jogos, principalmente na Copa do Brasil, apesar do pênalti contra o Galo não marcado.

Agora, depois deste Fla x Bota, não consigo entender qualé a choradeira.

O Souza foi expulso por não ter feito nada. Só tentou pegar a bola, e o goleiro não deixou. Depois vieram vários do Botafogo e deram "pequenas porradas" escondidas da arbitragem. Se foi o Zé que bateu, não vi. Mas o Souza não merecia ser expulso, o do Bota não tenho certeza.

Depois, Cristian foi agredido. Sim, agredido! Aquilo não é falta, é crime. E o juiz? Nem falta deu. Era pra vermelho.

O penalti? Tá, nem sempre marcam. Mas o que você queria que o arbitro fizesse se um jogador tira a camisa inteira do adversário na area? Vai reclamar com o beque, que além de tudo foi burro.

E o impedimento do Obina? Na cara do goleiro?

Não costumo ser injusto. Quando é contra o meu, eu sempre digo. Quando é a favor, idem.

Hoje, com erros para os DOIS LADOS, o Flamengo venceu porque venceu, sem choro.

E o Fogão, com todo respeito, se quiser continuar fazendo este drama toda vez que perde uma partida, vai cair num caminho sem volta, que é o do descrédito. Quando se chora muito, um dia ninguém mais dá o ombro...

Então... menos choro, mais trabalho e menos complexo de perseguição. O Botafogo é muito grande para ficar vivendo de lamentos e frases feitas como "tem coisas que só acontecem com o Botafogo"....

abs,
RicaPerrone

Sem choro, Flamengo de novo!


Globo.com

No futebol o gostoso é torcer, vibrar, perder, ganhar, discutir e se emocionar. Quando a gente perde, é o juiz. Quando ganha, é mérito do time.

Quando o craque erra, é pipoqueiro. Quando o grosso marca, é craque.

Quando o arbitro erra contra, é ladrão. Quando erra a favor, errar é humano.

No futebol, nem sempre vence o melhor. Mas, se o meu time vencer, ele foi o melhor.

Quando um time vence aos 40 do segundo tempo, pode ser sorte. Quando o Flamengo vence aos 40 do segundo tempo, é rotina.

Quando o Botafogo perde, a culpa é do juiz. Quando ganha, do time.

Quando um treinador ganha, é genio. Quando perde, é burro.

Quando o Flamengo joga uma final polêmica, com expulsões, erros de arbitragem, gol no finalzinho, casa cheia, Maracanã... dá Flamengo. Quando os outros jogam assim, nem sempre.

Na Guanabara, sem choro, Flamengo de novo!

abs,
RicaPerrone

Sempre doente


Quando eu era moleque eu adorava futebol tanto quanto hoje. Sempre contei aqui que era um dos raríssimos garotos de 15 anos que não era fanático pelo clube apenas, mas sim por futebol. Adorava todos os times, etc, etc. Ontem encontrei os desenhos que eu fazia com 17 anos, imitando situações em estádios. Ridículos, mas engraçados...

Eu fazia bolinha por bolinha de cada torcida, tem noção do trabalho que dava? Puts... que saudades. Olha aí os que eu achei. Tinha de todos os times.

abs,
RicaPerrone

Tá feio ...

 
Ainda dá pra segurar a corneta, mas ela já está querendo tocar.  O time do SPFC, depois de 10 jogos, pré-temporada e a base de 2007 toda ali, não joga NADA. Parece um time perdido e com bem disse o Rogério, "sem alma".

Insisto: Se tem a base, porque mudar tudo? Deixa o Richa com o Hernanes ali, deixa o Carlos Alberto na meia, volta o J. Wagner pra lateral, deixa os 3 zagueiros e, pelo menos, o padrão estará lá. Mas, o professor ADORA mudar tudo e sofrer 6 meses pra depois voar nos últimos 6. Tem sido assim, há 2 anos.  Uma hora pode dar certo, mas até agora não deu.

Semana que vem o Tricolor estréia na Libertadores, e longe de tapar o sol com a peneira, jogando NADA. Quando digo NADA, veja bem, eu quero dizer NADA mesmo.

A zaga resolveu tomar bola nas costas, coisa que não acontecia em 2007. Me custa crer que o Breno faça essa falta toda, já que antes dele a zaga também era forte. O André Dias não era um baita jogador? Então, porque ao lado do melhor zagueiro do país não conseguimos um padrão defensivo?

Será que é porque jogamos com dois segundos volantes e outro improvisado na lateral? Ou será que o time perde muita bola besta na intermediária adversária porque tem 2 atacantes jogando de costas?

Querem um destro, pois lá está. Carlos Alberto joga fácil nesse time. Era tão simples: Rogério, Joilson (Reasco, Rafael, sei lá!), Andre Dias, Juninho, Miranda, J. WAgner. Hernanes, Richarlyson, Carlos Alberto, Dagoberto e Adriano. Ainda tem de opção pra mudar o jogo: Fabio Santos, Aloísio, Borges, Hugo...

Ah, mas o Fábio Santos tem que jogar! Ok, também acho. Problema dele, do Hernanes e do Richarlyson. Eles que se virem pra ganhar posição, ué! O SPFC tá com muito jogador de cadeira cativa, sabe? Ano passado o Leandro jogava nem que fosse no gol. O Souza idem. Agora os 3 volantes jogam até de zagueiros, enquanto que, pra isso acontecer, um deles vira lateral, o J. Wagner volta a ser meia, os dois volantes são segundos volantes, a zaga fica perdida, e o padrão de jogo do time precisa mudar quase que inteiro!

Muricy tem culpa de viver desfalcado? Não, não tem.

Tá fazendo um trabalho ruim? Não, não está.

Tá se arriscando a toa? Pra mim, sim. Se der certo, vai levar TODOS os méritos sozinhos, porque fará um time com peças improvisadas pra todo lado vencer. MAs, se não der, ele vai assumir a bronca inteira pra ele. Coisa de macho, sem dúvida. Mas, sei lá se é necessário esse risco todo.

Tenho visto o Richarlyson de zagueiro, de lateral, tudo menos volante. Vai complicar o sujeito, mesma coisa que com Souza em 2007. O cara foi bem de meia em 2006, e passou o ano inteiro jogando de volante e lateral em 2007. O Richarlyson matou a pau de volante, e lá vai ele pra lateral, zaga, etc.

Não é mais fácil manter quem tá jogando bem onde está bem e arrumar só o que falta do que improvisar 4 pra arrumar 2 posições?

Eu não vou me arriscar a julgar que o caminho tá errado, pois é cedo demais. Mas, assim como não acho que o Renato Gaúcho fez bem em jogar com 3 atacantes o campeonato todo pra tirar um na semifinal e tomar um baile do Botafogo, também não vou achar muito normal ficar improvisando jogador pra na hora de decidir voltar com os caras para as posições deles. E quer apostar que isso vai acontecer?

abs,
RicaPerrone

Absurdo, se for verdade


Em Sampa já "resolveram" o problema das organizadas com a decisão mais estúpida do século: Tiraram deles as bandeiras, as faixas, a bateria e deixaram apenas as pedras, porretes e bombas. No Rio, pra alegria do futebol, ainda permitem bandeiras e festa.

Hoje surgiu a notícia de que, talvez, sejam proibidos igual em SP.

Só pra registro: Eu moro em SP e frequento estádio absurdamente. Não muda NADA. A torcida se pega lá fora, não lá dentro. O bambu da bandeira não é algo fácil de mover ao ponto de agredir pessoas na saída do estádio, até porque, o material normalmente vai e volta com alguma escolta policial.

Tiram do torcedor a bandeira, e dão a ele um porrete. Sim, pois isso os marginais continuam levando pro jogo. A festa fica 80% mais feia, sem graça. Os jogos em Sampa não chegam aos pés dos do Rio em festa de torcida, principalmente, por esta proibicão imbecil. Que graça tem olhar pra cima e ver 200 fogos daquele que faz luz vermelha e mais um bando de gente cantando apenas? Tem que ter bandeira, papel picado, batucada, tudo!!!

Deixem o patrimonio do futebol brasileiro em paz. Já nos levaram os craques, restou as torcidas e a paixão. Vão tirar da torcida seu instrumento maior de beleza? Parabéns!!!

Mais uma belíssima decisão de quem comanda as coisas no Brasil... vai resolver tudo, viu?!

abs,
RicaPerrone

Coisas que só acontecem com o Perrone


As pérolas estão de volta e em grande estilo.

Quinta-feira, 19h, 30 minutos para começar o jogo. Estou na barraca do Alemão onde fui ver os amigos antes de voltar ao trabalho quando toca o celular.
- Rica?
- Oi Aninha.. (reporter da ET)
- A placa do seu carro é... XXXX?
- Ai caralho, é ... porque?
- Vem aqui pro saguão então...
- Porque?
- Vem logo!

Corri, se é que esses meus trotinhos são uma corrida ainda. Cheguei lá, Aninha, Quartarolo e mais uns 2 com cara de "tadinho". E eu, morrendo de medo, já cheguei  perguntando.
- Que que foi?
- Rica, acho que bateram no seu carro...
- Como porra? Ta parado no estacionamento da imprensa..
- Então, parece que um carro desceu e acertou o seu.

Lá fui eu. Ao chegar, que bela cena: Um Montana sem motorista bateu no Polo, que bateu no meu, que empurrou a bunda do Clio. Os 3, e o do Perrone qual era? O do meio!!! Eeeeee!!!

Fui ver o jogo, afinal, foda-se. Vou fazer o que? Chorar?
Na volta, esperamos o responsável.

Fomos até a polícia, a sala de imprensa, os camarotes, anunciamos no Morumbi, quase fomos até o vestiário ver se não era do Hugo o carro. Até que passamos na polícia...
- Oi, a gente tá com um problema...
- Pois não.
- Então, aconteceu isso, isso, isso. Se a gente tirar o carro e fizer o B.O. sem esperar o dono, o carro dele vai descer e se arrebentar no muro. Temos que chamar um guincho, sei la. Mas precisamos da policia pra saber o que fazer, afinal, não se mexe em acidente né?
-  Ah... não sei não. Porque vocês não colocam uma pedra segurando o carro e tira o de voces?
- Sim, e quem paga o preju?
- Faz B.O....
- Tá, mas a sugestão é uma pedra? Não há procedimento padrão?
- Não, eu sou só policial né...

Então tá né irmão... pensei que você fosse policial! Mas, já que você é só policial, não perturbo mais.

Entre os 3 acidentados havia um carioca. Como bom carioca, falava mais do que a boca, ria de tudo, fazia piadas e alegrava o ambiente. Salgueirense, vascaino, não foi perdoado nem em momento de irritação e teve que ouvir um "vice de novo". O dono do carro chegou e, quase mudo, deu telefone, disse ter seguro e tudo mais. Tiramos nossos carros e, claro, o carioca e eu já estavamos rindo da situação mais do que preocupados.

Aninha, a querida reporter, chegou lá rindo! A "desgraçada" ainda tirou essa foto (abaixo) com o acidente de fundo, se divertindo, dançando créu para seu chefinho.

Mas o melhor veio no fim. Cansados, quase meia-noite, os carros devidamente estrupiados e todos de saco cheio... fazer o que? Junta as vítimas e faz um samba!!! hahahahaa
Isso sim, só acontece com o Perrone...

abs,
RicaPerrone, agora a pé.

Se for real...

Duro é acreditar. Mas, se acontecer, é lindo o projeto do estádio do Corinthians.

PS - Pela região escolhida... vai destoar um pouco da paisagem, né? rs

abs,
RicaPerrone

Muito nhe-nhe-nhe...



 O julgamento do Adriano foi o assunto do esporte na semana passada. A ET largou o treino do SPFC para cobrir julgamento ao vivo, coisa que nunca imaginei fazer na vida, mas... o que manda na pauta é a demanda, não o gosto do editor.

Isso porque o Adriano "iiiiiiiia" bater no Domingos e não bateu. Imagine se ele acerta uma cabeçada no sujeito...

Não foi caracterizado como agressão, óbvio, até porque, não foi mesmo.

Dois jogos, mais do que bom. A FPF nunca suspenderia o Adriano por mais do que 3 jogos. Perderia o principal, pra não dizer único, atrativo do falido Paulistão, que faz a Globo perder pra Record quando transmite. Vão tirar o cara de combate? Mas nunca!!!

Mas, mesmo sabendo que a FPF não faria isso, não considero a pena injusta. Pelo contrário, não condeno quem pensa em fazer merda e na última hora não faz. Condenaria se o fizesse, mas não fez.

Mas que o nhe-nhe-nhe tá exagerado em cima de punição do TJD, isso tá. Amanhã a Globo cancela os jogos de domingo e passa o julgamento de segunda ao vivo, afinal, deve dar mais ibope.

abs,
RicaPerrone

Crééééu....

terra
Quando eu era moleque, a gente ouvia música da Xuxa, da Mara, da Angélica e do Serginho Malandro. A gente aprendia que o Boto era rosa, que ilare-ê era legal, que a porta dos desesperados era engraçada e olhe lá. Mas, definitivamente, ou eu tô ficando velho ou o mundo tá perdendo o juizo mesmo...

Domingo fui a uma festinha de crianças. O anivesariante fazia 7 anos e, vestido de Power Rangers, viu sua festa ser embalada por um DVD de funk, que tinha uma puta gostosa dançando quase sem roupa e os amiguinhos dele cantando e dançando "créu", "vem aqui pegar seu macho", "lambe aqui que eu me arrepio", "vem pegar sua safada", entre outros.

Não que eu condene o estilo, pelo contrário, até defendo. Acho que não há mal nenhum nas músicas funk, mas acho que elas tem que ter um limite. Até a Lacraia, tudo bem. Passou disso pra uma suruba verbal que até deixa as pessoas sem graça. Mas, mesmo assim, é direito deles fazer e de quem gosta ouvir. Eu parei de ouvir funk carioca quando começou essa putaria, literalmente.

O que me assusta é ver que isso se tornou hit de crianças. E quando digo crianças não me refiro a garotos de 15 anos, mas sim de 7, que teoricamente não deveriam saber o que é um "créu", uma chupada, uma potranca e por aí vai. Mas sabem, ou pior, cantam sem saber.

"Como será o amanha?", diria o antológico samba da União da Ilha...  

Não sei, não quero saber e tenho medo de quem sabe.

abs,
RicaPerrone

Coluna ET

Coluna do RicaPerrone
: "Não é o que parece"
Fonte: Rica Perrone

Tenho lido com alguma freqüência, e até ouvido da boca do treinador em algumas raras entrevistas onde ele consegue tratar os jornalistas como pessoas, que o elenco do SPFC precisa de reforços. Que o número não é bom, que faltam peças, etc.

Por favor, alguém me ajude. Eu to ficando maluco ou será que o SPFC virou o Manchester e eu não fui avisado? Sim, porque a base de comparação me parece ter desaparecido da frente do Muricy e de alguns que com ele concordam neste aspecto.

O SPFC tem 2 goleiros de altíssimo nível, 2 laterais direitos (um destaque do brasileiro e outro da seleção equatoriana), 2 laterais esquerdos indiscutíveis (Junior e J. Wagner, que atuou assim no titulo do Inter em 2006), 2 volantes na seleção brasileira, um terceiro que veio do Lyon, outro que é preferencia do treinador e Alê e Renan ficam afastados porque o clube quer assim. Na meia, além do J. Wagner que pode jogar ali, tem Carlos Alberto, que já foi da seleção brasileira, o Hugo e o Sergio Mota, que dizem ser um craque.

Na frente o Aloísio, o Borges, artilheiro do time ano passado, e o Adriano, um jogador que dispensa qualquer comentário. Ah, tem o Dagoberto também...

Falta número para meio-campo e ataque? Sim, falta.
E isso não é justificativa para reclamar?

Não, não é. Vai me desculpar, mas o SPFC vai jogar contra quem esse ano? O Real Madrid? O Barcelona ou os times brasileiros? Até onde me avisaram, os rivais do SPFC são: O Cruzeiro de metade do time juniores, o Santos de Betão, o Corinthians de Dentinho, o Palmeiras de Valdivia e mais 10, o Flamengo dos laterais e volantes fortes, o FLu dos três atacantes e o Inter, de Nilmar e Fernandão.

Cadê a dificuldade em conquistar algo com este time que se apresenta no CT toda segunda-feira?

Pelo amor de Deus, eu nem citei a zaga porque vira palhaçada. O SPFC tem um banco de reservas que jogaria de titular em 80% dos times do país. Alex, campeão da Libertadores 2005 como titular. Aislan, destaque na Copa SP de 07, Sergio Mota e Hugo, jogariam fácil na maioria dos times que tem por aí, tirando uma meia dúzia deles. Junior, Reasco, Juninho, Borges, Carlos Alberto... onde eles não seriam úteis hoje em dia?

O que o São-paulino ta reclamando? Falta de elenco pra encarar o Manchester? Alô! É Paulistão! Libertadores, torneio que era impossível e hoje em dia não é tanto, pois se limita a encarar os brasileiros e, no máximo, mais 2 times que estejam bem organizados além do Boca.

Quem tem o elenco que o SPFC tem? Dirão: Falta quantidade! Ok, e pra que temos a melhor divisão de base do mundo? Não podemos preencher esta vaguinha no meio e uma na frente com 2 meninos? Não me digam que não tem, se não cai por terra o papo de que Cotia é brilhante e tal...

Todos tem que se virar com 7 jogadores de bom nível, uns garotos e uns 5 perebas. Só o SPFC tem uns 15 jogadores de alto nível, uma puta divisão de base e apenas 2 ou 3 perebas, e ainda assim estamos reclamando e ouvindo Muricy reclamar de elenco?

Por favor... eu não tenho criticas ao trabalho do Muricy há uns 8 meses, apenas ao seu comportamento pois não dá pra não criticar, é algo impossível de aceitar. Agora... reclamar de elenco e, mesmo sem ter a intenção, induzir a torcida a achar que o problema é esse, me soa, no mínimo, como injusto.

O SFPC não precisa contratar ninguém para disputar todos os títulos que aparecerem pela frente. Pelo contrário, em qualquer um que disputar, com o elenco que tem hoje, é favorito e tem a obrigação de chegar nas fases finais.

Falta um meia? Sim, talvez. Mas falta um meia pros outros 30 times do país que disputam competições junto com o SPFC, logo, não se faz tão necessário escandaloso assim como tenho lido por aí.

Que me desculpem as “cornetas”, mas se o SPFC não chegar este ano, não me venham com o papo de elenco porque não cabe. A estrutura ta lá, o time ta lá, os salários em dia, uma puta base pra achar soluções e uma puta paz pra se trabalhar. Arruma outra desculpa se perder, porque essa não cola... não diante dos rivais que temos.

Em tempo: Que fique bem claro que não faço aqui qualquer critica ao trabalho do Muricy em 2008, pois entendo que o time não está jogando bem simplesmente porque o cara não consegue repetir uma equipe, o que não é culpa dele.

Apenas, e apenas mesmo, rebato aqui este papo de “falta elenco”, “precisa reforçar”, porque não concordo nadinha com isso. Nem com ele, nem com os torcedores que andam repetindo isso por aí.

Abs,
RicaPerrone
http://ricaperrone.zip.net/
Nem vice de novo...

globo.com

Não havia escolha: Era vencer ou vencer. Jogo decisivo, e quem perdesse estava fora. Como disse aqui na quinta-feira, em jogos valendo vaga, o Flamengo já entra favorito contra o Vasco pelo retrospecto, que gera um fator psicologico natural.

Nas arquibancadas, um show. Das duas, diga-se.

Em campo, uma guerra. Um Flamengo ainda desorganizado e um tanto quanto perdido no sentido ofensivo, contra um Vasco que só fez 1x0 porque teve em Edmundo um jogador diferenciado que ainda é capaz de, num passe, armar um contra-golpe improvável.

O Flamengo cresceu na medida em que Joel colocou Marcinho e notou que Tardelli é um cone, o que a nação rubro-negra notará em breve. Dizem que o Flamengo cresceu depois do penalti perdido, e não é mentira. A única mentira é que houve um pênalti na partida, pois não houve. O jogador do vasco atira o corpo na direção do Ibson e vai caindo na frente dele. Não houve penalti nem aqui, nem na China.

Edmundo perdeu, porque se sua estrelha brilha contra o Fla, a de Bruno brilha contra o Vasco. Uma tinha que brilhar mais forte, e foi a de Bruno.

O Flamengo recuou perigosamente no final, enquanto Leo Moura brincava demais com a bola e dava facilmente a posse para o Vasco. Foi um risco, diria até, que desnecessário. Se o Vasco tivesse um batedor de faltas inspirado, ganharia o jogo de tanta porrada besta que o Flamengo deu perto da área.

Porrada que, diga-se, o senhor Edmundo também deu e merecia ser expulso.

Clássico é classico, não tem favorito. Flamengo x Vasco, valendo vaga, tem favorito sim.

O Flamengo é finalista e joga não apenas uma vaga na final, mas também a paz na Taça Rio. Se vencer, pode "descansar" enquanto foca a Libertadors e faz o time engrenar. Se perder, terá que correr nas duas para se garantir. Ou seja, contra o Botafogo, vale muito mais do que uma vaga na final do estadual.

Outro detalhe a ser registrado: O arbitro da partida pensa que é o Capitão Nascimento? Sim, porque ele berrava com os jogadores como se comandasse empregados em sua residencia. Puta cara nervosinho...

Enfim, Vasco é Vasco, Flamengo é Flamengo. A única diferença é que o Flamengo olha pra camisa do Vasco e joga. O Vasco olha pra do Flamengo e pára...

abs,
RicaPerrone

Um Palmeiras "feliz"


A cara do treinador, do Valdívia, do Denílson e, porque não, da história do Palmeiras. O time, hoje, foi um time alegre, feliz, pra cima, driblador, ousado, até brincalhão eu diria.

Valdívia e Denílson podem não ser primores táticos, mas não deixam zaga nenhuma parada achando que estão mortos. Em qualquer lance, mudam tudo, e o Luxemburgo, nada burro, meteu os dois soltos lá na frente.

O Alex Mineiro fixo, o Diego Souza um pouco mais recuado, e assim vai se desenhando o Palmeiras com seus reforços. Longe de ser um time formado, mas perto de, se repetir a forma de atuar de hoje, agradar o torcedor exigente que tem.

4x0, e poderia ter sido 8, era só querer.

Diga-se, o único rival que deve fazer frente ao SPFC neste Paulistão. Santos e Corinthians, por mais que se esforcem, dentro da lógica, não tem condições de eliminar SPFC e PAlmeiras em 2 jogos.

Mas, quem disse que existe lógica em futebol?

abs,
RicaPerrone

Não deu a lógica... ou será que deu?


O Flu tem mais time, isso é inquestionavel. Mas, o Botafogo fez hoje tudo que não fez em 2007, e o Flu, tudo que anda fazendo em 2008.

Enquanto o "brincalhão de 2007" resolveu o jogo nas raríssimas chances que teve, o confuso Fluminense ficou com a bola sem saber o que fazer com ela. Bem marcado, Thiago Neves sumiu e com ele o Fluminense desapareceu em campo. Cruzamentos e cruzamentos, coisa de time desorganizado. Renato não arrumou a casa ainda, ficou bem claro.

O Botafogo, que por incrível que pareça conseguiu mudar radicamente seu estilo de jogo em relação a 2007, não foi brilhante. Correu, marcou bem, aproveitou a chance que teve e, na minha opinião, tendo visto apenas uma vez o lance, o penalti não existiu. No entanto, nào mudaria absolutamente nada no resultado final.

Duas coisas valem ser ressaltadas:
- O Botafogo é um time chato, daqueles que não tem vergonha de dar bicão e de recuar.
- Se recuar desse jeito sempre, talvez a sorte não seja a mesma. O segundo tempo, depois dos 20 minutos, o Botafogo implorou pela pressão do Flu. Numa dessa entra, e já era. Muito arriscado a forma que recuou e a hora que isso foi feito.

Enfim, a final já tem um de seus protagonistas. O Fogão chega até com boas chances em virtude do coletivo, coisa que os demais ainda não conseguiram ter. Como em 2007, o Cuca demonstra enorme capacidade de arrumar um time a curto prazo. Vamos ver se na final, seja com quem for, não comete os mesmos erros bobos de 2007.

Merecida a vaga, porque quem corre mais merece mesmo.

abs,
RicaPerrone

Agitação só no Rio


Enquanto os inteligentes sistemas de disputas dos estaduais seguem insistindo na disputa entre mediocres e grandes até que se chegue no óbvio, o carioca continua sendo o único estadual que consegue atrair o torcedor antes do dia da decisão. Óbvio, afinal, neste final de semana tem 2 clássicos envolvendo os 4 grandes e apenas 2 seguem. Depois, 2 finais, enquanto isso os paulistas pensam em Marília, Guaratinguetá, e públicos de 10 mil.

Em Minas, rodadas e mais rodadas para esperar o Galo x Cruzeiro. No sul, idem. E por aí vai, até que entendam que futebol é produto e tem que agradar a quem compra, não aos que não tem condiçòes de se manter. Já pensou se a Casas Bahia resolve fechar algumas lojas para ajudar os camelos?  É quase isso.. são 3 meses de jogos fracos e sem público. Depois não entendem a dificuldade dos grandes em fazer investimentos... o SPFC trouxe o Adriano, e ele joga pra menos de 10 mil pessoas contra times fracos e em campos ruins. Qualé a vantagem? Qualé o retorno? Se não fosse a Libertadores, o primeiro semestre seria um festival de "bate em bebado"  e "tropeça pra entrar em crise".

Nego fala em "charme". Tá... faz o charme igual no Rio. Um mes, finais! Outro mes, finais! Pronto, passam 3 meses interessantes pro torcedor. Enfim, já cansei de falar isso... não adianta nada.

Final de semana que promete. Sabado tem Flu x Botafogo, e eu vou seco no Fluzão. Não porque tá jogando melhor, nada disso. Mas porque algo me diz, e até me faz torcer, que teremos Fla x Flu na final da Guanabara e que vai ser de arrepiar. Já dei meu palpite pra domingo, né? Pois é... o time do Flamengo foi cutucado e eu acho que responderá bem.

Vamos aguardar e acompanhar, porque num mar de jogos sem graça, o Carioca salvará o final de semana de quem gosta de futebol...

abs,
RicaPerrone

Posters dos Mundiais

 

Ingresso - Cruzeiro 97

1967

1972

1977

1982

1986

1989

1990

1992

1994

1995

1997

1996

Colaboração: RodrigoDuContra

abs,
RicaPerrone

Coerente...


Leão, o miss. simpatia, disse nem saber quem eram os 3 gringos que o Santos contratou. Depois, desmereceu os caras, revelou ter sido coisa do presidente com empresário e ainda lamentou a vinda deles.

Agora, na estréia da Libertadores, ele escala 2 como titular.

Vai entender...

abs,
RicaPerrone

A estréia do Mengão


Globo.com

Não foi uma tragédia, nem um show. Foi uma estréia discreta, com pontos positivos e negativos. Apesar da fragilidade do adversário, serviu para algumas observações.

Pontos positivos:
- O Flamengo manteve o jogo controlado todo o tempo
- O Fla não deixou espaço pro adversário
- As defesa não cometeu erros.
- O time jogou com calma, sem voar pra cima e nem ficar recuado desesperado
- Na Libertadores, com este novo formato, talvez seja mais negócio soltar o time fora e segurar em casa, em virtude do gol fora. Mas não nesta fase
- O Leo Moura e o Ibson jogam de cabeça erguida, o que é ótimo! Se outros fizessem o mesmo seria melhor ainda
- Segue sendo um time, aliás, um dos raros times, a ter opção de ataque pelos lados e pelo meio

Pontos negativos:
- Pra ganhar Libertadores precisa aprender a "bater". O Fla bateu na cara dura, e apanhou também. Mas, só um lado tomou cartões... então, precisa ser mais malandro.
- Falta um meia de verdade. Alguém que faça a bola correr e não necessariamente corra com ela. O cara do último passe, sabe?
- Não confio no Tardelli pra jogos que exigem esforço e raça.
- Mesmo sendo fora de casa, acho que os laterais podiam ter apoiado mais.
- Jailton podia ser expulso, e se fosse outro jogo, eliminado o Flamengo.
- Não se justifica a saida do Marcinho do time para ficar com 2 atacantes altos e lentos

Estatísticas:
- Novamente a bola ficou mais nos pés dos laterais e Ibson. Foram os que mais tocaram na bola
- Leo Moura fez 17 cruzamentos no jogo... errou 10.
- Ibson e Souza foram os que mais perderam bolas. 8 e 6, respectivamente.
- 86% de passes certos
- 61% de posse de bola, o que demonstra dominio territorial
- 17 finalizações, sendo apenas 7 no alvo
- 21 cruzamentos errados e 9 certos...

Outros:
- Os dados do jogo mostram que, para Tardelli jogar, o Souza abriu demais pra esquerda, e deixou o diego no meio. O Tardelli não sabe fazer gols!!!  Tem que inverter isso. O Diego corre, o Souza faz o gol.

- Quando Toró saiu, inverteram os volantes. quem caia pela esquerda foi pro outro lado. Ibson e Toro ficaram pelo lado direito, e quando entrou Kleberson, o Jailton veio pra direita pro Kleberson ocupar a esquerda. Isso confundiu o time um pouco, porque numa dessa ficam todos mais recuados e o Leo vai jogar sozinho. O Souza do lado esquerdo e só o Diego pra tabelar, complica e os cruzamentos saem pra ninguém mesmo.

- Novamente a distribuição de jogo do Flamengo foi perfeita. Quase igual a % de posse de bola na direita, esquerda e centro.

- Relevante: O Souza caiu pra esquerda, e todas as finalizaçoes do time foram centrais ou na direita. Interessante notar que o centroavante do time foi pra onde o time não finaliza. Ou seja, tá errado.

- O setor esquerdo ofensivo foi onde o Flamengo perdeu mais bolas pro rival, mesmo com um maior número de jogadores por alí. Insisto: Souza tem que ficar na área, não abrindo pra criar jogadas.

Não me causa nenhuma decepção e nem euforia com o jogo. O Flamengo fez o que fez em 2007 marcando forte, segurando a bola, criando pouco e fazendo um ou dois gols pelo talento dos laterais e do Ibson. Assim será em 2008, até porque, pra se dar bem hoje em dia, não se faz necessário muito mais do que saber marcar e contra-atacar, e isso o Flamengo sabe fazer.

abs,
RicaPerrone

Inacreditável...

Globo

Parece mentira, mas não é. Nosso Ronaldo está novamente parado, novamente com problemas no joelho, novamente graves.

Tem jogadores que se machucam e, sinceramente, não fazem a menor falta pro futebol. Outros, fazem alguma, mas se recuperam. Outros, dão pena, mas uma hora ficam bons. O Ronaldo está atingindo a incrível marca de ser um dos mais queridos e talentosos jogadores do planeta, porém, um dos mais contundidos e desacreditados.

Nós, jornalistas, estamos pra lá de acostumados com isso. Vemos dramas assim todo santo dia, e não nos causa mais tanta dó. Afinal, amanhã eles melhoram e, em alguns casos, te recusam um "olá" ao chegar pra treinar. Outros, ainda conseguem mexer com profissionais do dia-a-dia.

Ronaldo é um cidadão do mundo. Um cara querido, honesto, batalhador, alvo de muita fofoca, dono de histórias de superação incríveis, dono de uma Copa do Mundo, dono de 3 canecos de melhor do mundo e, fácil, dono do coração da maioria dos brasileiros. O povo ama Ronaldo, pelo que ele é, pelo que ele passou e, infelizmente, pelo que voltará a passar.

Dentro de alguns dias, acreditem, ele pode estar no CT Tricolor para se recuperar. Nenhuma informação de bastidores não, mas, aposto que o Leonardo vai recomendar, e terá o aval pelo histórico de pacientes. Amanhã ele ficará sem contrato e, acreditem, o melhor atacante do mundo estará sem clube, machucado, e desacreditado pela décima vez.

Com 31 anos, muita lenha pra queimar, o craque estará livre para, quem sabe, até optar em parar, o que diante de tanto drama não seria um absurdo. Eu, no lugar dele, enfiaria os milhões no bolso e ia pra casa jogar video game. Mas, como ele é o Ronaldo e eu um simples mortal, tenho certeza que ele tentará voltar, fará gols e dará a sua quarta volta por cima. Porque ele é assim, Fenomenal!

Boa sorte, Ronaldo! Hoje, como poucas vezes acontece, doeu ver um jogador no chão. Você não merece isso...

abs,
RicaPerrone

Mais um pra dar risada...
Quem é Ratinho?!
Muito boa!
Nãããããããããããããããããããão!!!!!

Globo

Ah, meu deus... que tragédia! "Ele", senhor de Boer, vestido com outra camisa...

Mesmo com Leão, vou torcer pro Santos não tomar gols mais.

Boa sorte, irmão! Você merece. Mesmo tendo que aturar o sr. arrogancia.

Em tempo: Espero que a torcida tricolor nào cometa a injustiça que fez com A. Carlos, ao vaia-lo no Morumbi contra o Juventude. Lembre-se que este cidadão tem gols em 2 finais de Libertadores, participação decisiva em Tóquio e contra o Atlético e River, além de ter feito o "gol do titulo" brasileiro de 2006.

abs,
RicaPerrone

Demissão na Globo


Respeitando a teoria da conspiração notada pelos tricolores, a Globo deve demitir a apresentadora do Jornal Nacional em breve.

Sim, pois ontem, numa emissora que "defende as cores do Timão", ela disse: "Amanhã começa a fase de grupos da Libertadores, caminho OBRIGATÓRIO para quem quer ser campeão mundial.".

Ou seja, a CGC (Central Globo de Conspirações) deve se irritar e demiti-la. rs

Tão interessante quanto isso, apenas a Rede Globo, que pra muitos define o carnaval carioca, ter colocado leitura de jurados e questionado algumas coisas para a Beija-Flor. Coerente, no mínimo. rs

Aaaaaaaaaah, eu "si" divirto!

abs,
RicaPerrone

Jogos para sempre



Flamengo 6x0 Botafogo - 1981

Capa da Placar depois do jogo...

abs,
RicaPerrone

O time titular, hoje

Este é o time titular do SPFC nas próximas rodadas, desde que Adriano nào seja suspenso. 

Amanhã, não sei...

abs,
RicaPerrone

Novo carnavalesco em Padre Miguel


Cláudio Cebola, ex-integrante da comissão de carnaval é o novo carnavalesco da Mocidade Independente de Padre Miguel. O anúncio do nome do novo carnavalesco foi feito na tarde desta terça-feira pela direção da escola.

Cebola de 36 anos já teve passagem pela escolas de samba Águia de Ouro e Mancha Verde de São Paulo. No carnaval deste ano, Cebola integrou a comissão de carnaval da Mocidade, exercendo a função de diretor artístico.
http://www.galeriadosamba.com.br/V40/NI.asp?DLCHG90

Boa sorte, apesar da minha leve desconfiança por ter vindo de Sampa e, talvez, ter acostumado com o estilo.

O enredo, dizem, pode ser sobre o Canecão. Não gostei também.

abs,
RicaPerrone

Após 8 rodadas...


Após 8 rodadas no Paulistão, o panorama é esse:

Cruzamentos:
 São Paulo - 215 (19% certos)
 Santos - 152 (25% certos)
 Palmeiras - 214 (23% certos)
 Corinthians - 168 (25% certos)

Cartões:
 São Paulo - 19 (2 vermelhos)
 Santos - 18 (2 vermelhos)
 Palmeiras - 27 (1 vermelho)
 Corinthians - 21 (1 vermelho)

Assistências:
 São Paulo - 5
 Santos - 6
 Palmeiras - 6
 Corinthians - 6

Desarmes:
 São Paulo - 229
 Santos - 268
 Palmeiras - 293
 Corinthians - 247

Dribles certos:
 São Paulo - 118
 Santos - 88
 Palmeiras - 141
 Corinthians - 90

Faltas cometidas:
 São Paulo - 155
 Santos - 137
 Palmeiras - 200
 Corinthians - 152

Faltas recebidas:
 São Paulo - 175
 Santos - 192
 Palmeiras - 196
 Corinthians - 177

Finalizaçoes:
 São Paulo - 138 (40% no alvo)
 Santos - 129 (36% no alvo)
 Palmeiras - 144 (29% no alvo)
 Corinthians - 120 (40% no alvo)

% de passes certos:
 São Paulo - 91%
 Santos - 84%
 Palmeiras - 89%
 Corinthians - 89%

Cruzamentos:
 São Paulo -
 Santos -
 Palmeiras -
 Corinthians -

Posse de bola:
 São Paulo - 139:48
 Santos - 102:28
 Palmeiras - 125:47
 Corinthians - 110:16

abs,
RicaPerrone

As polêmicas do dia


- O Palmeiras contratou Denilson, que disse não comemorar gols contra o SPFC. Acho justo, até coerente. Entendi já os motivos do SPFC não contrata-lo, mas quero ver se tecnicamente, neste mar de grosseria, o cara não vira um craque de novo e o arrependimento bate forte.

- Muricy deu outro festival de patadas na imprensa. Eu nem vou perder tempo achando isso ou aquilo. Ele faz o que ele bem entender. Mas, fato incontestável, que ele está cavando o buraco pra se enfiar. Na primeira má fase do SPFC, não haverá boa vontade dos caras com ele. E digo mais: Incomoda os reporteres verem que com os grandões, Milton, Galvão,F. Prado, etc, ele é um santo. Só bate em quem não pode responder. O que até ontem era engraçado e "rabugento", tá virando covardia. Pela competencia que tem em campo, e pelo altíssimo nível de elogios que recebe, poderia ser menos arrogante e mal educado com quem nào tem nada a ver com seus problemas.

- O SPFC quer o Keirrison, mas... tem que pagar. Aí já viu né?

- Cada dia que passa e quanto mais e-mails recebo de torcedor do SPFC pelo site, mais vontade tenho de conhecer a "CENTRAL GLOBO DE CONSPIRAÇOES". Porque ela existe! Não é possível que ela vá superar Papai Noel no quesido "mentiras que todos acreditam".

- Hoje tem Chicó x Audax,pra resolver um dos adversários do SPFC. Eu acho que dá Audax, e fácil.

- Romário e Flamengo flertam forte. Eurico ameaça tirar a estátua. E o mais curioso: Com tudo que Eurico faz no Vasco e ninguém se mexe contra, fica claro que ele tem toda razão quando diz que aquilo é dele e ele faz o que quer. Faz mesmo, o Vasco é o brinquedo dele. E a torcida do Vasco, que já o aplaudiu, agora que aguente .

abs,
RicaPerrone

Pérolas do torcedor


Ontem, ao entrar no messenger da ET com o nick: "WEBCAM AO VIVO DO MORUMBI - No site www.estacaotricolor.com.br", achei que o fato de mais de 30 caras terem enviado convite para conversa via webcam era um absurdo.

Hoje, ao abrir os e-mails do F1 na WEB, me deparo com um pior.

"Eu tenho muita experiencia em andar de carro, ja corri muito nessas estradas brasileiras, inclusive tomei uma multa de carro a 170 km por hora em uma curva indo de BH para SP o guarda me parou e tomei conciência do que estava correndo risco manerei mas sempre quando da piso fundo nao tem essa comigo vou pra cima sem manerar o pé sou canhoto e solto embreagem com força pra sair arrancando mesmo.
Espero que voçês leiem esse email com carinho pois estou disposto a correr nem que seje como piloto de teste. Stock Car "

Resposta:
Claro, caro amigo XXXX. O F-1 na WEB usará todo seu poder e ligará para o presidente da Ferrari dizendo ter descoberto um talento nato, que já chegou a incrível marca de 170 km/h rumo a BH. Ele ficará espantato e com certeza te chamará pra um teste. Caso não dê certo, fique tranquilo que já há um enorme corre-corre nos bastidores da Stock para te levar pra lá.

abs,
RicaPerrone

Esclarecendo


Para que novamente "lendas" não se tornem fatos através de comentários mal informados, vale o registro.

Juca Kfouri questionou os 40 mil no Rio contra apenas 20 em Sampa. Aquilo que eu questiono sempre... Os comentários "contra" sua constatação são: Ingressos mais baratos.

Pois bem, seguem os dados corretos, não os boatos:

Maracanã:
Arquibancada Verde/Amarela/Branca R$ 30,00
Cadeira Inferior R$ 20,00

Morumbi:
Arquibancada superior R$ 20,00
Cadeira inferior R$ 30,00

São números, não opiniões. O interessante: A maior parte da torcida fica no setor onde, no Maraca, é mais caro do que em SP...

abs,
RicaPerrone

Hoje eu cruzo os punhos pra vocês


Num geral, nunca fui fã de torcida organizada. Aliás, fui sim, e já até fiz parte. Só que um dia um cara me mandou jogar um papel aluminio do outro lado, e eu, com 15 anos, atirei. Era leve, e quando caiu, explodiu. Eu podia ter acertado alguém e matado sem saber nem o que era, pensando ser uma bolinha de papel. Depois desse dia eu apanhei da polícia algumas vezes igual gente grande, sendo apenas um garoto. Interessante registrar que eu não tinha feito nada, apenas não consegui correr dos adultos e fiquei no caminho pisoteado. Desde então, nunca mais frequentei.

Entre pessoas boas e más, torcidas organizadas se perderam no caminho quando colocaram seus escudos na frente dos clubes. A maioria delas prefere a torcida do que o clube, e torce muito mais por uma boa briga do que por um gol. Eu não gosto, mas também não me meto. Problema da polícia, não meu. Tenho amigos na diretoria da Independente, da Dragões, da Jovem Fla, da Gaviões, da Mancha, da Máfia, e assim continuará sendo.

Ontem, no Maracanã, eu vi algo que jamais imaginei ver. Algo que sonhei e sonho ver no Morumbi, que sempre considerei um delírio de minha parte, mas que virou real. Ontem, com imagens claras pra que não entre interpretação maldosa no meio, as torcidas do Flamengo colocaram o clube na frente do nome delas. Perdeu, e feio, pro Fluminense. Mas, a vitória da arquibancada não é qualquer coisa e merece ficar pra história, mesmo que não dure pra sempre.

A raça chamou a Jovem, que veio gritando "é União!". O resto da torida foi ao delírio, porque qualquer torcedor sonha em ver sua nação junta apenas focando a vitoria do time. Depois chamaram outras torcidas menores, que vieram também, e o Maracanã foi ao absoluto delírio com a cena. Cena que, pra quem nào frequenta estádios, tem um valor bem menor. Pra quem frequenta, não preciso explicar nada.

Se isso vai durar ou não, o tempo que dirá. Mas, se durar por 5 meses, o Flamengo ganhou um reforço notável na Libertadores. O maior jogador da historia do Flamengo não se chama Artur, nem marca gols, nem é capitão do time. O maior jogador deste clube fica na arquibancada e andou meio contundido por alguns anos, também em virtude da péssima administraçao que o clube teve. Ano passado ele voltou a jogar e o time voltou a ser forte. Este ano, com companheiros de campo mais fortes, uma união rara entre torcidas e uma expectativa grande, talvez o Flamengo volte a viver o que merece e nasceu pra viver: glórias.

As imagens de ontem vão ficar pra história do Maracanã, do Flamengo e dos sortudos que lá estavam. E hoje, com muita alegria,  eu cruzo os punhos pra vocês. Porque não é todo dia que uma nação engole o orgulho, engole sapo e até rixas antigas em virtude de uma paixão maior: O Clube de Regatas Flamengo.

Espero ver isso no Morumbi, no Parque Antártica, no Pacaembu, Mineirão, Beira-Rio... porque mais do que uma união, ontem a torcida do Flamengo deu, como várias vezes em 2007, uma licão.

PAZ! Futebol é diversão.

abs,
RicaPerrone

Coluna ET

Coluna do RicaPerrone
: "O choro é livre e, quem sabe, justo"
Fonte: Rica Perrone

Chorar no futebol é comum, sempre pra quem perde. Vindo do Leão, além de comum já passou a categoria de óbvio e irritante. O Sr. Arrogância, cidadão pelo qual tenho profundo desprezo, insinua coisas, maltrata repórter, desmerece os outros, culpa sempre alguém pelo seus erros, isso sem contar a perseguição ao Luxemburgo e a mania de, sempre, desmerecer o treinador que estava antes dele chegar.

Enfim, choro é com ele mesmo.

Ontem, no Morumbi, um lance mudou a partida. Kleber Pereira invade a área, corta Miranda, que cai. Quando cai, seu braço arrasta a bola dos pés do atacante até as mãos de Rogério Ceni, que defende. Na jogada seguinte, o gol do Sào Paulo que deu a vitória.

A regra diz que só existe “mão na bola”, mas confesso que passei horas procurando isso na regra e não achei. Logo, vou acreditar no que dizem os especialistas em arbitragem, quando juram que o regulamento não fala em “bola na mão”, seja em qualquer ocasião.

Porém, existe aquela história de braço colado ao corpo, de “impedir o gol com as mãos”, entre outras lendas da bola. Nunca li nada oficial sobre isso, mas, considerando que um jogador atue de braços abertos, cabe mesmo uma punição.

No caso do lance do Miranda (vídeo abaixo), entendo ser o mais típico caso de um lance que se faz esclarecer as regras do jogo. Sim, pois ele não abre margem para interpretações, dependendo do que diz a regra exatamente.

Se a regra for clara, como diz o Arnaldo, ela dirá “bola na mão” ou “mão na bola”. Enfim, “mão na bola” não foi, porque não houve intenção. Logo, se a única punição neste caso for para quem “colocar a mão na bola”, não houve pênalti.

Mas, e se a regra aceitar que impedir um lance de perigo com as mãos, mesmo que de forma involuntária, porém não encostada ao corpo, seja passível de falta? Aí, sem tentar ser mais são-paulino do que Lúcido, o choro cabe. Miranda tirou a bola do atacante e deu pro goleiro, SEM INTENÇÃO, mas fez, e com o braço.

Nessas horas a gente nota que vida de arbitro é complicada. Se nem eles tem uma regra clara para cumprir, como podemos cobrar que haja coerência e uma unificação de critérios? A regra não diz claramente nada disso, e mesmo se disser, não é o que se aplica e se ensina pra eles ao longo dos anos. Logo, eis a questão: Penalti ou não?

Culpar o arbitro é fácil, e entendo que, por exemplo, o Salvio Espinola errou no lance do Joilson contra o Corinthians, onde inverteu um cartão. Agora, veja bem, o bandeira estava num ângulo 200 vezes melhor. Porque não cobramos do bandeira que relatasse ao arbitro a verdade?

Pra mim houve pênalti no Dagoberto. Sem intenção, mas o jogador do Corinthians evitou que o Dago dominasse a bola com um chute, que não foi proposital, mas que pegou. Já vi 405050 penaltis assim marcados, mas naquele jogo, e por incrível que pareça baseado na regra, ele não deu. Porque a regra não é clara, é interpretativa, e quando algo abre espaço para interpretação, ele abre para burros e pessoas de bom senso.

O gol do Adriano, pra mim, é discutível. Ele encosta no jogador, e em segundos fica difícil avaliar se ele empurrou ou não. Não é um roubo, nem um erro grotesco. O do Joilson, é grotesco.

O que fica claro nestes dois clássicos é que não existe regra clara pra futebol. Isso é apenas um bordão do Arnaldo, que é ótima pessoa e ótimo arbitro, mas que não é real. A regra é completamente aberta, cheia de falhas e de pontos obscuros que atrapalham o futebol.

Esporte não é controlado por critérios pessoais, mas sim por normas e regras. Falta ao futebol uma clareza maior neste sentido, ou então seremos eternamente os “coitadinhos” roubados, e os juízes os eternos bandidos ladrões. Não é verdade.

Todos os esportes mudaram ao longo dos anos, só o futebol que não consegue. Muda uma regrinha de goleiros, outra de reposição de bola, mas nada que seja realmente determinante no jogo. Talvez seja hora da FIFA rever as regras, quem sabe até ousar numa tentativa de privar os craques das chuteiras dos menos providos de talento.

Impedimento só dentro da área, pra aumentar o campo. Limite de faltas, cartão azul pra expulsão de 10 minutos, substituições livres o jogo todo com a ajuda do quarto arbitro, enfim... mudanças! Regras claras! Menos interpretação e mais futebol!

O que não pode, em momento algum, tapar a realidade. Não se discute arbitragem segunda-feira porque os árbitros pioraram. Se discute arbitragem porque está difícil demais discutir futebol numa época onde os treinadores entram pra não perder, os times para marcar, os melhores em campo são zagueiros e se ouve treinadores de times grandes dizer: “O empate era bom pra nós”.

Eu hein... Saudades do tempo que o Zico era assunto na segunda-feira, não os destemperos do Fábio Costa nem as patadas do Leão, quanto mais as 200 cameras que elegem um vilão para o futebol de baixo nível colocado em prática hoje em dia.



Abs,
RicaPerrone
http://ricaperrone.zip.net/
Melhores momentos

00:00 - O Tricolor, sem forçar cruzamentos, consegue chegar tabelando rápido.

00:30 - Jorge Wagner bate de longe, como faz bem e deveria fazer mais vezes.

01:00 - Novamente sem cruzamento, mas sim com bolas enfiadas. A jogada sai mais perigosa

01:10 - Cruzamento feito com cabeça erguida, com endereço.

01:34 - Juninho vacila feio, Rogério Ceni... nem tanto. Não tinha muito o que fazer.

02:40 - Cruzamento e o abafa de jogadores fortes e altos. Isso vai ser muito util na Libertadores.

03: 30 - A mudança de lado do Richarlyson abriu a zaga e deixou um sozinho chegando. As vezes, abrir e se movimentar pra lados diferentes do inicial ajudam muito, desde que com responsabilidade.

04:05 - Joilson arrisca, sem muito perigo.

04: 20 - Por isso ALoísio é titular...

04:34 - A zaga do Santos tava afim... vamos combinar! rs

05:00 - Boa bola, Fábio Costa! Enganador pra caramba esse goleiro... irregular, maldoso, desequilibrado e adora um peru. Não me convence, nunca convenceu.

05:30 - Puta bobagem do Miranda, melhor zagueiro do país pra mim. Ficou marcando as costas do Juninho e deixou o Rodrigo livre. Quando foi, já era tarde.  Ele tinha 2 pra marcar, é verdade. Mas ficou no meio deles, não marcou nenhum.

06:30  e aos 07:00- Um time com 3 zagueiros não pode levar tanta bola enfiada... Algo ainda não está certo ali.

07:15 - O penalti, interpretativo. Pra mim, não.

07:30 - Um jogador que o SPFC não tem. Um cara que carrega driblando e correndo com a bola. Quando apareceu, a zaga lenta do Santos não parou. Vai ser titular, ja já....

08:14 - Vai saber...

08:40 - Bom chute do Richarlyson...

08:50 - Adriano perde a cabeca e TENTA dar uma cabeçada. Se não deu, tentou. Expulsão justa.

09:15 - André Dias, 5 kg mais magro que em 2007, vive grande fase.

abs,
RicaPerrone

Paz no Maracanã



Sim, a violência entre torcidas rivais ainda é enorme e mata pessoas inocentes. Mas, se tem algo que me irrita é ver torcidas do mesmo time separadas ou fazendo birrinha uma pra outra. Hoje, no Maracanã, uma belíssima cena salvou o ingresso dos rubro-negros.

Torcida Jovem e Raça Rubro Negra não se dão muito bem há algum tempo, pelo que me consta. Hoje, na chuva, as duas se uniram cantando e gritando "é união!", coisas assim. Depois as torcidas menores foram juntas e todos os rubro-negros cantaram as mesmas músicas em paz e sem divisão na própria arquibancada.

Muito, muito, muito legal! Fico feliz, e acho que todo mundo fica. Ter medo de encontrar rival vá lá, mas ter medo de ficar na arquibancada da sua torcida é de lascar. E isso, agora, pelo menos ao que parece, não existirá mais no Maracanã. Dez pras duas hoje.

E que outras sigam o exemplo...

Por isso eu digo: Só QUEM FREQUENTA ESTADIO DE FUTEBOL E TORCE, JOGA, GANHA E PERDE COM O TIME SABE O QUE É ISSO! ISSO É FUTEBOL! O resto é novela das 8 na TV!!!!

Emocione-se com o vídeo! (Valeu, Rafael!)

abs,
RicaPerrone

Penalti?

 

Isso é o que chamo de lance dificil, mas que fica fácil, fácil analisar se houve ou não "apito amigo" no jogo:

1 - Voce acha que existe BOLA NA MAO que mereça ser marcado falta?
Sim? Então o SPFC ganhou no apito.
Não? Então tá tudo certo.

É evidente que a jogada do Miranda tirou a bola dos pés do santista e deu pro Rogério com a mão. Isso é imagem, não se discute. Tão evidente quanto ele não ter tido a INTENÇÃO de fazer isso, mas fez.

Ou seja, se pra você é mão na bola ou nada, tá tudo certo. Se você é da turma que acha que cabe falta quando atrapalha o lance por não estar colado no corpo, etc, então a choradeira do Santos faz sentido. Até porque, dali saiu o gol do Tricolor em seguida.

Pra mim, mão na bola é penalti. Bola na mão, não. É isso que diz a regra. Mas, como eu disse, cabe e muito a interpretação e a tese de que é possível marcar mesmo sem a intenção caso mude o lance, e neste caso, mudou. Aí, depende do que cada um entende por "penalti".

abs,
RicaPerrone

Agenda da semana


Terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Copa Libertadores da América
18h00 Audax x Chicó FC

Quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Campeonato Italiano
12h00 Milan x Livorno

Copa da Uefa
15h45 Galatasaray x Bayer Leverkusen


Copa Libertadores da América
21h50 Cruzeiro x Real Potosí
21h50 Coronel Bolognesi x Flamengo

Copa do Brasil
19h00 Itabaiana x Vasco
20h45 Jaciara x Grêmio
21h45 Barras-PI x Corinthians



Quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Copa Libertadores da América
0h10 Cúcuta Deportivo x Santos


Sábado, 16 de fevereiro de 2008

Campeonato Italiano
17h30 Juventus x Roma

Campeonato Paulista
18h10 Juventus-SP x Palmeiras

Campeonato Estadual do Rio
18h Botafogo x Fluminense



Domingo, 17 de fevereiro de 2008

Campeonato Francês
16h50 Olympique x PSG


Campeonato Paulista
16h00 Corinthians x Bragantino
16h00 Marília x São Paulo
18h10 Rio Preto x Santos

Campeonato Estadual do Rio
16h Flamengo x Vasco

Abs,
RicaPerrone

Hoje, no Maracanã...

Globo.com
Dá pra dizer que, pela primeira vez, "nevou" no Rio de Janeiro. Jogo igual, cheio de reservas, com dois times sem entrosamento e com nada em disputa. Apenas um clássico, que já começou sem graça quando tiraram as estrelas dele. Mas, é um Fla-Flu, e hoje o Fluminense teve algo que o Flamengo não teve: Um craque.

Os melhores do Flamengo não jogaram, mas o melhor do Flu jogou. Em partida igual, equilibrada, o único "diferente" desequilibrou. Thiago Neves tem aquilo que costumo rotular como "craque". Definição: Jogador que, através de sua técnica, pode resolver tudo sozinho. Convenhamos, é o caso.

Mais do que não ter os titulares, o Flamengo não teve o "padrão". Seu jogo e fundamentalmente pelas laterais, marcando bem e tomando a bola rápido, pra que o contra-ataque, aberto com alas, seja quase mortal. Hoje, isso não aconteceu. Sem isso, o Flamengo virou um time sem padrão, até porque, time reserva não tem padrão mesmo.

A diferença entre os times hoje teve apenas um nome, e era Thiago.

Não há nada que possa ser tirado deste clássico que vá desestabilizar o Flamengo. Quem saiu bem foi o Fluminense, que saiu forte, saiu com moral e com um jogador em grande evidencia. O Flamengo, que pode até se aproveitar disso, saiu como entrou: Classificado e sabendo que "o time" não esteve em campo.

A semifinal é contra o Vasco, e convenhamos, por valer vaga, o Flamengo é favorito. Se fosse um jogo pra cumprir tabela, o Vasco seria. Sendo um jogo decisivo, diz a história, o Flamengo entra com boas chances.

Nada a acrescentar. Apenas mais uma noite brilhante de um craque que surge, uma goleada que entra pra história, um público bonito no Maracanã, e a expectativa de semifinais fantásticas da Taça Guanabara!

Alô Federação Paulista! Prestem atenção: Os times do interior do RJ são mais fracos que os de SP, mas... com 6 rodadas, casa cheia e finais! Aqui, em Sampa, lá vamos nós pra mais 10 rodadas até chegar no óbvio e, ai sim, alguém se interessar pelo campeonato de péssima fórumula.

abs,
RicaPerrone

Hoje, no Morumbi...


O Santos não tem a menor condição de jogar de igual pra igual com o SPFC atualmente. O time é fraco, e pra ajudar, tem um treinador que considero fraco, arrogante e que piora o que já é ruim e, raramente, ajusta o que é bom. Leão teve a virtude de arrumar o Santos no intervalo, mas o time não tem muito como arrumar quando se toma um frango e faz um gol contra. Neste caso, mesmo não suportando o treinador do Peixe, o isento de qualquer culpa.

Muricy, que tenta arrumar 11 titulares, mexe, remexe, muda, testa e o time cresce, sem dúvida. Mas, ainda não está caracterizado o time de 2008, e nem é hora de estar. Cada novo jogador que entra na equipe muda o posicionamento de um que já está lá, e fica inviável julgar e analisar o SPFC até agora. Não sei, nào faço ideia qual seja o time titular.

Carlos Alberto, pela terceira vez, quando entra muda o jogo. Centraliza, dribla e carrega, ao invés de abrir e cruzar, como o time tem feito.  Primeiro tempo muito bom, segundo tempo médio. Ainda falta muita coisa pra chegar no ponto ideal, mas ao menos fica a esperança dele chegar após uma vitória como a de hoje.

O Santos, me perdoem, nem esperança dá pra ter. A torcida Jovem nos entregou um manifesto antes do jogo pedindo a saida do Leão. Pena que nao vão ouvi-los, porque nao me entra na cabeça como um clube paga salários para ter alguém distribuindo porrada nas pessoas publicamente, ganhando alto, criando intrigas e sendo DETESTADO por 80% dos jogadores que já trabalharam com ele.

Enfim, Muricy sorriu na coletiva. Bons sinais de um SPFC que começa a entrar em campo confiante e sair dele vitorioso.

abs,
RicaPerrone

Amanhã, no Morumbi...

 

Amanhã, no Maracanã...

 

Contratação perigosa


Romário foi o melhor jogador que vi jogar. Melhor, inclusive, que o Maradona. Não porque jogava mais bola necessariamente, mas porque jogou a carreira toda, enquanto o outro a cheirava. Enfim, gosto é gosto, e prefiro Romário e Zico do que Maradona.

Agora ele deixou o Vasco por motivo nobres. Recebeu oferta do Flamengo, que confesso não ter achado muito interessante num primeiro momento. O que querem com ele? Que ele seja titular aos 42 anos? Que jogue partidas sem importancia? Seja qual for a escolha, não cabe ao Baixinho, assim como não consigo imaginar que ele mereça encerar a carreira jogando no maior rival do clube que o revelou e que ele projetou seu fim.

Adoraria vê-lo com a camisa do Fla. Fatalmente compraria umas 2, vibraria com cada gol, e aumentaria minha admiração por ele ainda mais. Só que, pra um time que está voltado para Libertadores, com um time redondinho, um planejamento focado e bem montado... contratar o Romário pra não jogar? Ou pra jogar e ter que se submeter a ter um jogador de 42 anos numa competição de alto nível?

Talvez ele jogue apenas a Taça Rio e depois disso assuma um cargo no Flamengo. Aí sim, faz algum sentido. Caso contrário, não consigo entender quem ganharia com o que nessa negociação. Imagino até que haja um pedido do Joel para que o Romário faça parte do grupo apenas para ajudar com os garotos, dar conselhos, cuidar, assumir a liderança, etc. Isso, se for da vontade dele, seria muito bom pro time. Meu medo é a reação da imprensa em cima dele, o auê em cima do Flamengo e o fim da paz.

Um dos raros casos no futebol onde, a favor ou contra, se vier tem que aplaudir e respeitar. Ou alguém ainda tem coragem de se posicionar contra Romário?

Do jeito que ele é, não duvido nada o cidadão chegar, fazer gols e ainda ganhar a Libertadores marcando um gol aos 43 do segundo tempo na final...  Não é nada provável, mas, desde quando o Romário é previsível?

abs,
RicaPerrone

Jogos da minha vida - Flamengo 2x3 Fluminense (1995)

 

Em 1995 vivi um ano de forte ligação com o Flamengo. Meu grande ídolo, Romário, foi jogar lá e eu passei a acompanhar muito mais de perto todos os jogos daquele ano. Comprei camisa, boné, aliás, comprei tudo que tinha o número 11 ou 100, pois naquele ano o Mengão completava um centenário. Eu tinha, deixa eu pensar... uns 17 anos, por aí.

Meu irmão, que nunca foi ligado a futebol, adorava me encher o saco e me contrariar. Adivinha o que ele virou? Fluminense, claro. Mas, mesmo se dizendo tricolor aqui e no Rio, ele jamais tocava no assunto. Nem ligava pra futebol, muito menos pro Flu. Enfim, naquele dia sua "torcida pra me irritar" sofreria, literalmente, um golpe.

Era um final de semana, fim de tarde. Meu pai e meu irmão chegaram e eu estava assistindo a final no sofá sozinho. Estava 2x0 pro Fluminense, e eu muito puto. Meu irmão sentou e ficou com cara de quem não ia se meter em nada. Meu pai, mais acostumado com meu fanatismo, só comentou o resultado e nem me olhou direito. Eu ali, sofrendo.

Quando Romário fez 2x1, eu comemorei timidamente ainda. Confesso, não acreditava no título. Quando o juiz expulsou o zagueiro Sorley e, erradamente, levou Marquinhos junto, eu já tinha perdido o juizo e gritava com o juiz na frente da TV. Engraçado porque no meu prédio ninguém reagia ao jogo, afinal, moro em Sampa. Devem achar, até hoje, que eu sou maluco. Me lembro que um dos meus vizinhos era carioca e torcia pro Botafogo. Na hora do gol do Romário ele disse na janela: "Vai sonhando, urubu!!!". E eu, educadamente, respondi: "Vai tomar no ...., seu filho da...!". Meu pai não gostou muito, não. Inclusive, fechou a janela.

5 minutos depois, aos 32 do segundo tempo, o gol do título. Fabinho, gol de Pelé!!! Eu já sai pulando, rodando camisa, xingando vizinho, pulando em cima do meu irmão que, coitado, assistia ao jogo sem saber nem a escalação dos times. Era festa! Eu tinha 15 minutos pra comemorar até o juiz apitar, e meu pai dava risada do meu nervoso, afinal, ele é daqueles que respeita e gosta de todos os times, apesar de ser são-paulino doente.

Com 10 pra cada lado, Romário em campo, Sávio puxando contra-ataque, campo pesado pra anular o Djair... porra, era nosso! Não tinha acordo! Mas, Fla-Flu é Fla-Flu, né? E do outro lado, assim como no Flamengo, tinha um grande craque. Renato Gaúcho é um dos mais importantes jogadores da história do futebol brasileiro, só que aqui em Sampa, como ele nunca jogou aqui, ninguém fala muito.

No final, Lira foi expulso, fazendo a falta mais nojenta que um jogador de futebol já fez na história do Maracanã. Ele simplesmente deu uma voadora nas pernas do Fabinho, e foi expulso. Devia ser preso, mas só tomou o vermelho. Tava ficando fácil, tão fácil que até preocupava...

Aos 40, descobri o quanto o Flamengo já mexia comigo e meu irmão descobriu que eu mandava bem de direita. Renato, de pança, faz o terceiro e lá se vai o caneco. Gol!

Fiquei paralisado, esperando o bandeira anular. Meu irmão, acho que de tanto se envolver com o drama do jogo, teve uma reação que nunca tinha tido: Levantou gritando: "GOOOOOOOOL!!!!! CHUPA!!!!!"! Na frente do meu pai, sem controle algum, eu simplesmente enfiei um soco na cara dele e joguei o moleque no sofá. Meu pai deu um berro comigo, assustado com o que eu fiz. Bater em irmão mais novo é quase que um hábito, mas naquele dia eu exagerei. Perdi a cabeça completamente, e eu tenho desde pequeno uma raiva de torcedor de ocasião, sabe? Eu me recuso a aceitar torcedor comemorando e tirando sarro sem ter visto jogo, comprado camisa, acompanhado, participado. Acho coisa de oportunista isso.

É uma coisa minha. Talvez eu esteja errado, mas eu cresci fazendo parte das coisas que gosto. Eu sempre quis comprar coisas da minha escola, ver os jogos do meu time, ir no Morumbi vazio em jogo ruim, tomar chuva, enfim, sempre quis me sentir parte da conquista e da derrota. Acho que a graça é essa. Isso me gerou uma "raiva" das pessoas que não acompanham nada, e que quando ganha, veste a camisa e sai tirando onda. Isso me emputece, vocês não imaginam o quanto.

Mas, enfim. Fui pro quarto chorar escondido porque meu irmão ia me zoar pro resto da vida se me visse chorando porque o time dele ganhou do meu. No outro dia, juntei um dinheirinho que eu tinha lá guardado e fui comprar a camisa do Sávio, que guardo até hoje. Sim, eu sou meio besta. Tenho reações contrárias... costumo comprar mais coisas e acompanhar quando meu time perde do que quando ganha. Sensação de "preciso ajudar", sabe? Coisa besta, mas...

Aquele foi um jogo que jamais me esquecerei. Não só pelo resultado, porque foi um jogo brilhante. Mas porque naquele dia me senti flamenguista pela primeira vez. Sofri por um time que "não era o meu", e daí pra frente só piorou. Sofri com muitos outros, como com o Cruzeiro na Libertadores de 97, com o Inter em Toquio, o próprio Flu na final contra o Paulista, etc. Eu não consigo assistir a um jogo sem torcer, sempre foi assim. Eu escolho um e torço, seja ele rival do meu time ou não.

Graças a Deus meu irmão não é rancoroso e nem lembra muito deste dia. Hoje o "desgraçado" tem 1,98m e pesa mais de 110 kilos. Ou seja, se ele resolve se vingar, era uma vez o RicaPerrone... Até dei uma camisa do Flu pra ele uns anos atrás, tentando me "desculpar". rs

Pra quem lembra, nem precisa. Mas pra quem não se lembra, seguem os momentos de um dos jogos mais fantásticos do futebol brasileiro, no programa "Jogos para sempre" do Sportv:

Ps - Amanhã ou segunda-feira conto uma história dessas do SPFC x Guarani, 86.

abs,
RicaPerrone

Palmeiras tenta se reforçar


O Verdão tenta se reforçar a todo custo. Dudu Cearense é o nome do volante que esteve muito perto de fechar, e hoje nem tanto. O SPFC e o Grêmio também tentaram, e os três aindam mantém contato para, quem sabe, consumar o empréstimo até dezembro.

Enquanto isso, lá na frente, Éder Luiz, do Galo, também anda disputado entre Santos, Palmeiras e SPFC. O Verdão esteve mais perto, diria que ainda está em virtude dos valores. Mas, o Galo não libera fácil.

As negociações continuam e o Dudu, que era a contratação que o Luxa esperava, ficou mais complicada. Os europeus querem uma grana até que aceitável, cerca de 400 ou 500 mil dólares por 1 ano de empréstimo. O problema é, como sempre, salário.

abs,
RicaPerrone

O novo Maradona?


Andam dizendo por aí que o Messi será melhor que o Maradona. Li, hoje mesmo, que ele é o melhor jogador do mundo atualmente.

Confesso não ter visto muita coisa do Barça este ano ainda, e no ano passado também não vi o quanto gostaria. Logo, minha impressão sobre ele anda é muito verde...

E vocês? Acham que é tudo isso ai? Estamos vendo o novo Maradona?

abs,
RicaPerrone

Grandes e pequenos


Há muito blá,blá,blá sobre os times grandes do Rio só jogarem "em casa". Dizem que há vantagem, etc. De fato, há. Mas, não é bem por aí não.

Os pequenos não são pobrezinhos maltratados pela Federação. Os times menores ADORARAM a idéia de jogar todas no Maracanã e Engenhão, assim como os de SP iam adorar também. Simplesmente porque a receita é muito maior do que uma possível ida para as semifinais, onde o lucro seria dividido.

Se o Volta Redonda jogasse em casa contra os 4 grandes, teria aquele limite de público do estádio deles e a renda definida. Jogando no Maracanã, perde o jogo, mas ganha mais dinheiro e corre o risco de um grande estrear alguém e enfiar 50 mil lá dentro.

A justificativa que me passaram foi essa. Que foi uma oferta da federação para salvar a pele deles e que eles adoraram. Assim como, aposto, os paulistas também iam preferir receber 4 receitas de jogo com time grande na capital do que 2 em casa. Afinal de contas, verdade seja dita, não existe clube pequeno em boa situação financeira no país. Enquanto insistem nisso, vão cada vez mais se render e facilitar pros grandes.

Como sempre digo, só o Brasil quer ter 12 grandes, 10 médios e 500 pequenos. Não tem como. Em qualquer país do mundo, que gira muito mais grana no futebol do que aqui, existem 4 grandes, 5 médios e uns 20 pequenos. Aqui querem sustentar 500 e acham que vão sobreviver.

abs,
RicaPerrone

Curta - Ótimo!

 

Ja publiquei uma vez, mas o capitulo 2 é sensacional e eu não tinha colocado ainda.

abs,
RicaPerrone

Em 1974...

Nem nascido eu era, mas Zico começava a se firmar como titular do Flamengo. Foi um 4x0 no Tiradentes no Maracanã, com um de Zico, 2 de Paulinho e um de Liminha.

A matéria cita Zico como "fenomenal", "soberbo" e até, "um novo Pelé", mesmo dizendo, em seguida, que era exagero ainda.

Abs,
RicaPerrone

Relíquias rubro-negras


O anuncio oficial do jogo

Junior e Pelé

Flamengo x Chelsea

Franz Anton Beckenbauer

Com a ajuda de RodrigoduContra!

abs,
RicaPerrone

Sorria, já foi pior

Haja estômago!!! Morri de rir vendo isso...

E aproveitando, os backstreet boys não são uma cópia disso?  Reparem: Alguns playboys, musica ruim, caretas nos clips, refrão fácil, sucesso, menininhas gritando... igualzinho! rs

 Vejam... rs

PS - Pepecas da Et, essa é pra vocês nunca mais falarem mal de Zezé! hahahaha

abs,
RicaPerrone

Salgueiro explode coração

O maior desfile que uma escola fez até hoje. E hora do Salgueiro explodir em 93 com o título.

Lindo também.

abs,
RicaPerrone

Assim que foi, assim voltará a ser

Vira virou, a Mocidade chegou!

Reparem no Paulinho, e ao lado dele, de preto, se eu não me engano, parece o Wander, não?

E dá pra não chorar?

abs,
RicaPerrone

Você é linda até ensaiando!

"Quem não gosta de samba é ruim da cabeça ou doente do pé"

abs,
RicaPerrone

O Fla dos


Globo.com

Hoje trabalhei no Morumbi e, portanto, não vi o jogo do Flamengo ainda. Curioso que o placar do estádio deu o gol de Juan e, no segundo, não disse quem fez.Talvez para não fazer o torcedor tricolor dar risada. Me desculpe nação rubro-negra, eu sei que pra vocês é novidade ainda. Mas, aqui, Tardelli é piada.

Vi pelos lances e pelos dados do jogo que pesou a falta de Fabio Luciano, Leo Moura e... convenhamos, 4 volantes pra que hoje? Era só o Volta Redonda, não havia necessidade disso tudo. Claro, é obvio que dois deles andam jogando lá na frente. Mas ainda acho mais negócio escalar um meia de origem no time para não sobrecarregar o Ibson, que fica sendo o maestro.

Enfim, quando eu ver melhor, comento melhor. Por hora, ficam os dados do jogo pra vocês:

- 26% de posse de bola do lado esquerdo do campo
- 40% de posse do lado direito
- 12 cruzamentos da esquerda, 15 da direita
- 7 errados da esquerda, 10 da direita
- Das 24 faltas que sofreu no jogo, 21 foram nos lados do campo
- Os dados mostram que Souza saiu da área pro Tardelli ficar
- Ibson e Kleberson cairam mais pela direita
- O Volta Redonda teve 52% de posse de bola...
- O Fla deu 17 chutes a gol, apenas 6 no alvo
- 86% de passes certos (nos jogos anteriores, sempre acima de 90%)
- Luzinho, Juan e Souza, nessa ordem, foram os que mais tempo ficaram com a bola
- Jonatas acertou 10 lançamentos
- Luzinho errou 11 passes, o que mais errou no jogo
- Acertou 37, também o que mais acertou
- Bruno bateu 14 tiros de meta (ou lançamentos) para o adversário

PS - O senhor Tardelli não errou nenhum passe no jogo. Deu 21, todos certos.

abs,
RicaPerrone

Dúvida cruel...


Os 4 paulistas, hoje, estão fora dos 4 classificados para as semifinais. Diga-se, sem opinião nisso, que nenhum dos 4 jogou nada até agora.

No Rio, os 4 grandes ocupam as 4 primeiras posições, sendo que 3 deles já tiveram grandes atuações, o Vasco ainda deve um pouco.

A questão que fica: Será que os pequenos de SP são muito fortes e por isso a diferença? Os times do interior do RJ são, de fato, uma piada? Os cariocas estariam mais fortes? Ou seria apenas uma questão abstrata, onde alguém me dirá que são fases epdemicas, onde um cresce, todos crescem. Um cai, todos caem?

abs,
RicaPerrone

Aqui, Morumbi! Fim de jogo

Com a imagem acima bem na minha frente, escrevo após o empate por 1x1 no Morumbi. Jogo feio, chato, cheio de jogadas inuteis e jogadores pouco inspirados.

Muricy voltou ao 352, mas pra isso perdeu a criatividade que já era pouca, e com Aloísio e Adriano, é bola na área ou nada. Carlos Alberto, quando entrou, deixou bem claro que falta alguém pensando vindo de trás. Muricy notará isso.

Incrível como o São Caetano adora perturbar o Tricolor no Morumbi. Sempre complica. Não vi o penalti ainda pela TV, mas da cativa tive a nítida sensação de que foi.

O SPFC é um dos times mais distantes do ideal ainda. Não porque joga menos do que os outros, mas porque pode jogar muito mais do que eles e tem jogado, apenas, igual.

Invicto, porque a zaga é forte. Em quinto, porque o ataque está perdido.

Bom registrar: Não dá pra cobrar de Zé Luiz, Reasco, Alex e Aloísio grande coisa. Os caras não jogam faz tempo. Mas... 

abs,
RicaPerrone

Nova "tribuna"


A partir de hoje manterei um blog no site Paixão Rubro Negra. O que eu postar sobre o Flamengo estará lá também, assim como algumas coisas que não cabem no blog, mas cabem num site voltado pra torcida de um clube só.

Enfim, é uma honra!

http://paixaorubronegra.com.br/colunistas/blog.php?id=10

abs, Saudações rubro-negras,
RicaPerrone

Blog


Vocês me perdoem o blog estar todo torto. Mas eu ando tentando mudar e deixá-lo mais bonito. O problema é que eu não manjo nada de template de blog, muito menos de photoshop. Aí fica essa merda toda que vocês estão vendo. rs

Mas, enfim, acho que até amanhã arrumo tempo e um jeito de deixar isso tudo "menos feio", ok?

Se alguém ai manjar de blog do UOL, manda um e-mail pra mim.

abs,
RicaPerrone

Méritos e mais méritos


Globo.com

"A Beija-Flor ganha roubado", essa é a frase do momento.

Ok, eu também li e desconfio que haja mesmo alguma ajudinha, mesmo que não seja direta. Mas, entre polêmicas e choros, existem méritos que estão sendo esquecidos. A Beija-Flor é campeã, de novo, porque merece, não por acaso. Ninguém leva tantos canecos a toa, e isso justifica, talvez, os 13 milhões investidos para fazer o desfile, contra 6 ou 7 milhões das outras.

A escola nilopolitana tem valores, como a de doar fantasias para a comunidade desfilar, o que gera um conjunto forte, uma harmonia melhor na avenida e uma dedicação muito maior com a escola. Neguinho, sem comentários. Um puxador desse não se encontra em qualquer esquina, ainda mais um que até hoje não andou colocando nome de escola no nome artístico pra depois sumir pra outra comunidade.

O que precisamos entender, entre outras coisas, é que o erro no sistema é da LIESA, não da Beija-Flor. A Liesa quer carnaval pra jurado, nào pro povão. As novidades, que encantam o torcedor na avenida, não são quesitos, e o quanto a escola mexe com o torcedor idem. Logo, se você passar perfeita na avenida, leva 10 e ganha. A Imperatriz notou isso primeiro, agora a Beija-Flor entendeu também e ganha todas.

É incoerente ouvir de torcedores que carnaval é pro povo, que a Beija-Flor não foi melhor do que a Portela, pois passou apenas bonita, enquanto as outras passaram surpreendendo com carros e alas diferentes. Pois se a diferença é tão importante, então Paulo Barros não é um enganador, como alguns sugerem, mas sim um revolucionário. Eu, na arquibancada, ao lado de outros 400 que tiveram a mesma reação, assistiria a 200 desfiles da Viradouro sem cansar, e não aguentaria nem 4 da Beija-Flor. Ruim? Não, apenas não surpreende. Considerando que 7 das 12 escolas entram e passam sem novidades, fica cansativo.

Eu sou a favor de algo mais simples. E seguem minhas sugestões:

- Baianas tiram pontos, logo, deviam dar. Vira quesito.
- Quesito criatividade deveria ser criado, para acabar com a mesmisse
- A nota mais alta e a mais baixa deviam ser descartadas, passando a 5 jurados
- Um quesito deveria ser criado para fazer as escolas mexerem com o torcedor. O jurado deveria ficar na arquibancada sem ser notado e observar a reação verdadeira do torcedor, não a de bandeirinhas distribuidas. Assim, a escola que fizer carnaval pro povo leva alguma vantagem por isso.
- Outra coisa: Puxador também devia ser quesito. São 5 ou 6, e eles fazem diferença, mais do que mestre sala e porta bandeira. Assim, teriamos uma campeã com mais aspectos e nào com os repetitivos conjunto, harmonia, samba enredo, etc.

Enfim, parabéns pra Beija-Flor. Não discordo do título, mas sim da diferença de pontos em relação as demais. Essa diferença não existe para quem assiste, e não deveria existir pra quem julga.

abs,
RicaPerrone

Beija-Flor embala o Fluzão 2008


"O meu Fluzão me faz brilhar
Iluminar o meu estado de amor
O nosso time impõe respeito
Bate no peito eu sou tricolor"

Linda adaptação!!!

Olha aí, nação tricolor (paulista)... nem precisa mudar muita coisa hein!

abs,
RicaPerrone

Romário, um dos raros que tem opinião


Romário foi taxado, por muitos e muitos anos, como um jogador mau-caráter. Acho curioso porque esse termo tem uma conotaçao totalmente equivocada em alguns casos. Pra mim, antes de ser mau ou bom, tem que ter um caráter. E isso implica em arcar com o que faz, bancar o que diz e assumir atitudes sobre o que pensa e seus valores pessoais. Vários, muitos deles bem famosos, usam imagens mentirosas e rotulos de igreja para serem "bons-caráters". Mas, vergonha na cara é algo raro, e peito é ainda mais raro no futebol.

Romário, que nunca escondeu que adora noite, não gosta de treino e nem de entrevista, jamais foi um jogador de duas caras, e tendo sua única face voltada para opções que não agridem ninguém, me faz rotulá-lo como um baita caráter.

Hoje, em São Januário, isso ficou muito claro. Enquanto dezenas passaram por lá e obedeceram tudo que Eurico quis fazer, Romário se colocou na frente para impedir algo que entende ser prejudicial ao seu trabalho, ao clube e ao futebol. Disse NÃO na cara do presidente do clube e saiu, mesmo tendo a história que tem lá.

Não fica apenas uma demonstração de caráter ou coerencia, mas também de vergonha na cara e um belo exemplo para profissionais da bola que vivem dançando conforme a música, seja ela boa ou ruim.

Romário é rei, e não é por acaso.

Hoje, sem chuteira, marcou seu gol número 1003. E que golaço!

abs,
RicaPerrone

Como seria se...


Muitos se perguntam: Como seria o carnaval 2008 se a fórmula de descartar a maior e menor nota fosse adotada, como era antigamente, evitando que um juiz mal intencionado ou cego acabe com o trabalho de um ano. Minha maior reclamação foi confirmada, mas o resultado não muda em nada.

Eu sempre achei os títulos da Beija-Flor merecidos, porém, exagerados na pontuação final. Não vejo essa distância para as outras, e também não entendo como um juiz pode dar 9.2 e outros 3 darem 10 e todas elas valerem. Não faz muito sentido, porque demonstra claramente que a cabeça de um deles pode desmontar um resultado, ou até monta-lo.

Enfim, a diferença despenca gritantemente no formato antigo. Fiz as contas e isso ficou bem claro. Confira!


Classificação final de 2008:

Beija Flor

399.3
Salgueiro 398.0
Grande Rio 396.9
Portela 396.8
U. da Tijuca 396.5
Imperatriz 396.5
Viradouro 396.0
Mocidade 395.1
Vila Isabel 394.6
Mangueira 393.9
Porto da Pedra 388.2
São Clemente 387.5

Classificação final se a maior e menor nota fossem descartadas:

Beija Flor 179,8
Salgueiro 179,7
G. Rio 179,4
Portela 179,3
U Tijuca 179
Imperatriz 178,7
Viradouro 178,6
Mocidade 178,3
Vila Isabel 178
Mangueira 176,6
P Pedra 175,4
S. lemente 174,6
 

abs,
RicaPerrone

Beija-Flor


Vídeo 1 - Bateria e desfile

abs,
RicaPerrone

Imperatriz


Vídeo 1 - Bateria

abs,
RicaPerrone

Unidos da Tijuca


Vídeo 1 - Bateria no recuo

abs,
RicaPerrone

Grande Rio


Vídeo 1 - Bateria

abs,
RicaPerrone

Mocidade


Vídeo 1 - Desfile
Vídeo 2 - Abre alas
Vídeo 3 - Bateria chegando
Vídeo 4 - O fim do desfile

abs,
RicaPerrone

Viradouro


Vídeo 1 - Fim do desfile e aplausos
Video 2 - Pinguins na primeira ala
Vídeo 3 - Abre alas
Vídeo 4 - Carro do parto
Vídeo 5 - Carro das baratas
Vídeo 6 - Carro das rosas


abs,
RicaPerrone

Mangueira


Vídeo 1 - Entrando no recuo
Vídeo 2 - Bateria

abs,
RicaPerrone

Portela


Vídeo 1 - Saindo aplaudida, com paradinha
Vídeo 2 - Zeca vai abraçar Romário
Vídeo 3 - O abre alas
Vídeo 4 - O segundo carro
Vídeo 5 - Entrando no recuo
Vídeo 6 - O carro mais lindo de 2008


abs,
RicaPerrone

Salgueiro


Vídeo 1 - Edmundo abre o desfile
Vídeo 2 - Bateria entra no recuo
Vídeo 3 - Carro do Maracanã
Vídeo 4 - Fim do desfile

abs,
RicaPerrone

Porto da Pedra


Vídeo 1 - Entrando no recuo
Vídeo 2 - Desfile
Vídeo 3 - Aplausos, porque mereceu!

Reparem no puxador no terceiro video! Ouçam como ele chama o povo pra escola, enquanto a bateria dá um show! Valeu pela vontade da escola, que não merece cair.

abs,
RicaPerrone

São Clemente


Vídeo 1 - Bateria entrando no recuo (a moça da frente enfiou a mão e a camera caiu! rs)
Vídeo 2 - Bateria tocando dentro do recuo

Como eu disse, achei bacana! Bonita, como todas são. Mas, faltou um tesão fundamental pra escolas "menores". Ela passou sem garra, parecia saber que não ia ter chances. A Porto da Pedra veio em seguida com uma vontade totalmente diferente. A São Clemente é irreverente, faz samba pro povão, não tem medo de criticar. Mas, faltou um pouco de tesão na avenida.

abs,
RicaPerrone

As notas


Antes de falar delas, colocar videos e fotos, etc... as minhas notas, que não indicam o que acho que os JURADOS vão fazer, mas sim as que ME agradaram mais.

São Clemente - 8.5 - Sem tesão... passou pra cair.

Porto da Pedra - 9.0 - Sem ser brilhante, mas passou com garra! E com um samba animado! Valeu!

Salgueiro - 9.7 - Lindo!!! O melhor samba, a melhor bateria e um baita desfile!

Portela - 9.9 - Perfeita, inovadora, linda! Eu nunca vi ela brilhar ao vivo, foi a primeira vez e fiquei muito feliz!

Mangueira - 9.1 - Sem graça pra cacete esse ano. E com um sambinha, na minha opinião, bem ruinzinho. Mas... é a Mangueira né?

Viradouro - 10.0 - Cara, o carnaval é feito pro povo e não pra jurado. Essa escola, com Paulo Barros, é a coisa mais fantástica dos últimos 2 anos. não vai ganhar porque não fica lambendo jurado, mas foi disparado a melhor coisa da Sapucaí, de novo.

Mocidade - 9.5 - Não foi a melhor, mas... é a minha Mocidade!!! Menos do que 9.5 só quando ela não desfilar. rs

U. da Tijuca - 9.4 - Eu até que gostei. Mas achei o Estandarte um exagero...

Vila Isabel - 9.7 - Cresceu muito desde o título de 2006. Um puta desfile, de novo.

Imperatriz - 9.8 - Só tiro dois décimos porque ela é chata demais!!! Passa perfeita, tão perfeita que ninguém nota. Alô Imperatriz, tem gente além do jurado querendo te ver!

Grande Rio - 9.8 - Linda!!! Só não leva porque o carro bateu na avenida.

Beija-Flor - 9.9 - Perfeita! Mas, que esse samba enredo igual todo ano que só muda a letra já deu, isso já né? Tá ficando muito Imperatriz... tem que ousar mais, como era antigamente.

Pra mim, os jurados darão o caneco pra Imperatriz, Portela ou Beija-Flor. Vamos ver...

abs,
RicaPerrone

Nojo!

Isso são ingleses e espanhois num treino da F-1.

Pior do que ver a imagem mostrando o quanto alguém pode ser imbecil, apenas saber que quem estava em volta não se manifestou tirando essa gente dali de perto.

Prefiro meu terceiro mundo do que esse tipo de gente por perto. Acabo de chegar de uma festa de favelados e milionários, todos juntos, abraçados e sem cor, sem raça, sem preconceito de nada... pra ter que ver isso e chamar de "primeiro mundo"? 

Abs,
RicaPerrone

Como é grande o meu amor por você...

Eu amo muitas coisas na vida. Algumas desde pequeno, outras desde ontem. Mas, quando eu gosto de alguma coisa, graças a Deus não sei dosar. Sofro em dobro, mas também sou feliz em dobro por causa delas.

Mais uma vez fui passar o carnaval na cidade maravilhosa, rodeado de amigos, muita risada e de escolas de samba que eu adoro! Sim, adoro todas, mas só amo uma.

Não cabe mais dizer que foi fantástico, que o desfile não existe, que o Rio é lindo, que o carioca é divertido, que eu adoro tudo aquilo. Já cansei de falar isso aqui. Mas, cabe sim, antes dos vários posts que farei sobre o carnaval com vídeos, comentários, analises e fotos, explicar e contar uma história que mudou minha vida e me fez mais feliz.

Talvez eu já tenha até contando, mas eu nem ligo e conto tudo de novo.

Quando eu era pequeno, meu pai adorava carnaval. Minha mãe, não. A Manchete existia, logo, o nível de mulher pelada na TV era amplamente maior que hoje. Eu, com meus 10 anos, não podia ver muito. Naquela época a gente tinha idade pra aprender o que era putaria, sexo, etc. Hoje, não.

Enfim, um dia a Unidos do Cabuçu falou dos trapalhões. Eu adorava, e pedi pro meu pai me acordar. Só que como eles adorava, acompanhava, mas nunca sabia exatamente que samba era de que escola e nem nada, ele me acordou quando entrou a Tijuca. Eu assisti, não gostei porque não tinha os trapalhões. Mas, fiquei na TV até que ele me mandasse dormir. Eu queria esperar os trapalhões, e ele me madou dormir quando acabou a Tijuca. Eu enchi o saco dele e fiquei mais 15 minutos vendo TV.

Quem entrou? Aquela coisa linda com uma estrela de neon no abre-alas. O samba era, curiosamente, o que eu mais gostava de ouvir no disco que ele colocava. Em 87, eu já havia adorado o Tupinicopolis, mas não conseguia associar muito a letra à escola e tal. Eu era muito moleque e não tinha esse tanto de informação que tem hoje sobre o desfile.

A partir daquele dia, eu dizia pro meu pai no carnaval: Pai, quero ver a verde da estrela! E ele me acordava pra ver a Imperatriz ou a Imperio Serrano, nào lembro. Eu olhava e dizia: "Mas não tem a estrela...". E ele nem ligava.

Em 1990, pra azar dele, me acordou pra ver a Mangueira, escola do coração do velho. Eu vi, gostei...  mas quando acabou, algo me fez ficar na sala e ver que a próxima escola cantava o "Vira virou!", música que eu adorava, e que ela tinha a estrela na abertura. E lá vem o locutor oficial: "Vem aí, a MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL!". Pronto, lá se foi a tentativa do meu pai de me fazer mangueirense.  Sentei no sofá e não tinha cristo que me fizesse levantar. Eu cantei o samba, assisti, adorei aquilo tudo e... Campeã!!!

Já era, eu fiquei apaixonado como poucas vezes fiquei na vida por alguma coisa.

Os anos passaram, meu pai morou no Rio de Janeiro, eu comecei a ter alguns amigos lá e conhecer melhor a cidade. Adorei, e já era Flamengo na época, o que facilitou eu não ter em nada aquela rixa de paulista x carioca. Minha mãe, Beija-Flor. Meu irmão, idem. Meu pai e minha tia, Mangueira. E eu, Mocidade! Ovelha negra? Não, ovelha verde da familia.

Em 1997, depois de quase 10 anos vendo pela TV e 20 ouvindo os discos e decorando cada samba, meu pai me levou. Comprou o ingresso pra domingo, e quando cheguei lá, a notícia: "A Mocidade desfila segunda". Eu não fiquei bravo, porque eu queria ver o desfle, e eu adoro todas as escolas. Mas... faltava um tempero. Eu precisava ver a Mocidade.

Fomos, voltamos, e na segunda-feira não iríamos. As 20h meu pai passou pela porta do quarto e me viu igual um idiota olhando pra TV. A Santa Cruz desfilava, e eu babava de vontade de estar lá. Meu velho me enfiou no carro e disse: "Você se vira? Posso confiar?". Eu fiz que sim com a cabeça e não acreditei, mas ele me deixou sozinho na Sapucai pra eu ver a Mocidade. Comprei ingresso na porta, e com um detalhe que eu não esqueço: Ele queria pagar, e eu tinha 200 reais que ganhei no natal. Eu não deixei ele pagar porque eu fazia questão de pagar meu ingresso pra ver a minha escola a primeira vez. Comprei, entrei e quando cheguei a Viradouro fazia sua paradinha funk.

Esperei até que chegasse a nossa vez. Fiquei ali com a turma do dia anterior, porque lá você entra em 2 ou 3 e sai com 10 amigos novos. O carioca tem o dom de se tornar seu amigo em 10 minutos, é incrível! Quando a Mocidade entrou, eu chorei. Fiquei paralisado, olhando fixamente pra Sapucaí e não acreditando que era ela, ao vivo, na minha frente. Chorei, chorei, sem vergonha de nada! Não vi. Até hoje, juro por Deus, não me lembro do desfile. Eu fiquei parado, olhando fixo e me lembrando de quantas vezes eu quis estar ali e não pude.

Voltei de manhã pro Flamengo, onde estava hospedado. Cheguei com faixa, camisa, boné, bandeira e meu pai ria vendo eu entrar. Ele disse assim: "Valeu a pena? Viu sua Mocidade?"
- Pai... eu nunca mais quero ver na tv! Ela é a coisa mais linda do mundo!!!!, eu disse.

Voltei a ver na TV, porque nem sempre eu tinha como ir. Mas, de 97 pra cá, fui em uns 7 ou 8 desfiles, e desfilei em 2000 pela Grande Rio, que também entrou no coração pelo carinho que fui tratado lá.

Em 2007, eu e meus amigos da Mocidade, Jorge e Kelly, que todo ano assistem comigo no setor 11, abaixamos a cabeça quando ela passou. Fomos consolados pela galera em volta, de tão triste que foi ver a Mocidade passar sem brilho. Ontem, não!

Ontem ela entrou e veio forte, glamourosa, com cara de Mocidade! Passados 20 minutos de desfile eu tive que segurar as lágrimas. Jorge, que há 20 anos frequenta o desfile e é da comunidade de Padre Miguel, me olhou chorando e disse: "Como ela tá linda!!!". Eu quase chorei junto, porque ela estava linda mesmo! A Kelly, filha do Jorge, sambava feliz da vida com a redenção da escola que ela frequenta desde garotinha. E eu, apaixonado mesmo morando longe, cantava e rezava pra tudo dar certo. Eu nunca mais vou me esquecer das lágrimas do Jorge, que viu seu filho, George, desfilar em 2 baterias naquela noite e só se emocionou com a nossa Mocidade. Ele me contou que, saindo de casa, disse carinhosamente ao filho, que é outro gente boa rubro-negro da família:
"Filho, você sai em 2 escolas hoje, eu vou torcer muito por você, mas você sabe que o papai vai torcer pra Mocidade, né filho?". Porra, se isso não é amor, o que é então? E pior de tudo? O filho entendeu, porque também ama a Mocidade, apesar de estar afastado dela este ano...

Foram 80 minutos de emoção, lágrimas, alegria, nervoso quando abriu um buraco no recuo, e um abraço de satisfação no final, quando tivemos a certeza que, mesmo que não dê, ela passou como merece e saiu aplaudida, como nasceu para ser.

Em volta, durante as duas noites, é isso que você aprende e vê de mais bonito. Não importa qual seja, nem se foi linda ou comum. O que importa é que cada escola que passa por ali, mexe com milhares de pessoas e tiram lágrimas de centenas delas. Ela não precisa brilhar, apenas passar. Só porque é a sua comunidade, ou só porque é a escola que você cresceu aprendendo a amar. O importante, ali, é se emocionar e aplaudir o trabalho daquela gente que, muitas vezes, não tem dinheiro sobrando, mas tem amor de verdade por uma escola e que ralam o ano todo só pra ver ela passar forte por 80 míseros minutos. Isso não tem preço.

Enfim, como todo ano, quando acaba o desfile da Mocidade eu tenho a nítida sensação que eu nasci em São Paulo pra conseguir trabalhar. Porque se eu fosse carioca, se eu tivesse condicões de estar perto, eu passaria o ano lixando isopor só pra ver ela brilhar na avenida.

Eu sei que pra enorme maioria de vocês isso não faz nenhum sentido, porque paulista não gosta muito de escola de samba e nem é, normalmente, apaixonado por uma. Mas, para os cariocas que tem uma escola e visitam este blog, vai ficar fácil entender, sejam eles beija-flor, Mocidade, Salgueiro ou qualquer outra. Só mudam as cores, porque no fundo é apenas um bando de pessoas e fantasias, embalados por uma bateria, que levam um ano pra conseguir dizer, em 80 minutos, porque o povo brasileiro é o mais criativo, divertido e feliz do mundo! Porque faz com paixão, só isso.

E mesmo tendo perdido a namorada pro Salgueiro, volto da Sapucai muito feliz e realizado como sempre. Revi amigos, ouvi samba de verdade, vi a emoção do povo com cada escola, vi alas lindas, carros brilhantes e gente feliz. O Salgueiro, que sempre foi uma "segunda escola" pra mim, levou a sra. Perrone com ele. Passei 6 meses comprando camiseta, ensinando samba, história, falando da Mocidade, mas...  amor não se escolhe, né? Acontece. Ele entrou na avenida e os olhos dela brilharam... vou fazer oque contra isso? Se em 80 minutos o Salgueiro fez o que eu não fiz em 6 meses, pode levar porque merece! rs

Enfim, Jorge, Kelly, Ricardo, Sra. Perrone, Pai, Iracema, Rodrigueira, Andréa e todos que lá estiveram conosco naquelas 2 noites mágicas de sapucaí... um grande beijo e até 2009!!!

Eu te amo, Mocidade!!! Mesmo que não dê... foi lindo demais te ver passar.

abs,
RicaPerrone

Em tempo...


- Nem preciso dizer que as "férias do blog" foram adiadas né? Começam quando eu pisar na Dutra.

- Também não preciso contar pra torcida do Flu que eu assisti o jogo, né? Eu e meu pé gelado com o tricolor carioca...

- Só é bom lembrar que amanhã vou pra Campinas com a ET. Ou seja, tem cobertura completa na ET. Fique de olho!

- Legal registrar, também, que estou tentando ver o desfile de Sampa na Tv. Cara... é incrível! Eu amo desfile de escola de samba, não perco nem reprise, mas... não consigo assistir os de SP e me envolver, prestar atenção. Não sei o que acontece, e olha que eu tento. 2009 vou me envolver com uma escola pra ver se me apaixona...

- Será que se a Dragões subir no carnaval de SP a LIGA vai mesmo proibir as 3 de disputarem o titulo, como era previsto em regulamento já com 2, e não foi cumprido pra manter o interesse futebolistico?

- Porque o Santos joga domingo? Gente chata... é carnaval pra imprensa e jogadores também, viu Federação?

- É só comigo ou o carnaval parece mais "feriado" do que natal e ano novo?

- Não dá dó uma escola fazer tudo aquilo durante um ano pra passar em 80 minutos só?

- Passei na porta do Anhembi agorinha... A torcida do Corinthians saia como se fosse um jogo. Incrível, era um estádio perfeito.

- A bateria da Vila Maria de bandeira do Japão foi GENIAL!!!!

- A repercussão da entrevista com o França foi sensacional! Obrigado!

- Tô com sono... fui!

abs,
RicaPerrone

A solução que vira problema


Miguel Schincariol/Agência Estado
Até determinado momento, carnaval era sinonimo de Rio de Janeiro e Sapucaí. Mangueira, Salgueiro, Mocidade... estas eram as opções de escolas de samba pro povo, seja carioca, baiano ou paulista. Um dia, sem grandes explicações, a Globo fez do carnaval de SP o que fez com a Stock Car: comprou a idéia em troca de exclusividade.

Surgiu, então, uma nova opção. Longe, bem longe do Rio. Quem vai nos dois sabe bem a diferença, é que na TV tudo fica meio igual. Talvez pro leigo pareça a mesma coisa, mas desde a bateria, o estilo do samba ao sambodromo, é tudo diferente. Até por tradição, o paulistano é muito menos sambista do que o carioca. Ninguém aqui nasce com uma escola, ao contrário do carioca que desde cedo se identifica com uma, mesmo que não acompanhe muito.

Enfim, o carnaval de SP foi "inventado" pela Globo, e cresceu muito. Mas, a questão é o que foi usado para chamar o carnaval? O Corinthians através da Gaviões, que em 94 e 95 fez dois sambas de enredo fantásticos, e logo a TV levou isso pra torcida, que levou pro Anhembi a camisa do Corinthians. Foi lindo, talvez o mais lindo desfile já feito em SP até hoje. Mas... viciou errado.

O torcedor do Corinthians fez o carnaval de São Paulo virar moda. A Gaviões, competente no que faz na avenida, manteve isso e soube tirar proveito. A Globo, inteligente e burra ao mesmo tempo, usou deste chamativo pra falar do carnaval e chamar público. Deu certo, até a página 2.

Passados 13 anos, o que temos? Uma arquibancada de futebol, com torcedores de futebol que foram até lá ver o CORINTHIANS, não o carnaval. Prova disso é o número de pessoas que deixa o Anhembi após a Gaviões passar. A festa que eles fazem, diga-se, é linda. Mas, é de futebol, não de carnaval.

Modéstia a parte, até porque só entendo de 3 ou 4 assuntos na vida, carnaval eu conheço um pouco. E carnaval não tem nada a ver com futebol. Se tentar misturar, dá merda. E deu.

Deu porque no Anhembi sobram ingressos, custando 40 reais. Porque ninguém, em 12 anos, guardou a Vila Maria ou a Nene. Guardam a Gaviões, porque foi isso que a Globo enfiou na guela do torcedor pra atrai-lo pro sambodromo. Agora, com a Mancha ali, virou um campeonato paulista, e se acontecer da Dragões subir, vira um inferno.

Vai ter briga de torcida, que é apenas o que falta pra ser um perfeito jogo. Torcida, fogos, gritos, uniformizadas, jogadores no chão, torcida na arquibancada. Só falta mesmo a briga e, quem sabe, em 2009, o desfile ser no Morumbi.

Em raros casos a solução vira problema. Mas, no carnaval de SP, a solução encontrada para fazer dele alto atrativo e popular afasou dele a chance de ser apenas, simplesmente e puramente... CARNAVAL!

Em tempo: Nada, absolutamente nada, contra a Gaviões. Ela faz o dela, e muito bem feito na avenida. Mas... agora, pra consertar, lá se vão mais 20 anos explicando pro povo que futebol é futebol, carnaval é carnaval. Enquanto isso, no Rio de Janeiro, a bola brilha pra uns, o carnaval pra outros. E é assim que deve ser.

abs,
RicaPerrone




[ ver mensagens anteriores ]